Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Família de brasileira morta na Irlanda faz vaquinha online para trazer corpo ao país

    A meta de 30 mil euros - cerca de R$ 172 mil na cotação atual - foi ultrapassada em menos de seis horas

    Daniela MallmannSalma Freuada CNN

    em Belo Horizonte

    A família da brasileira Bruna Fonseca, assassinada em Cork, na Irlanda, abriu uma vaquinha para arrecadar dinheiro para trazer o corpo da jovem ao Brasil.

    A meta de 30 mil euros – cerca de R$ 172 mil na cotação atual – foi ultrapassada em menos de seis horas.

    Até o momento, 2.100 pessoas doaram 36.703 euros por meio do site “Go Fund Me” e compartilharam suas condolências à família.

    Duas instituições irlandeses se destacaram como as principais doadoras: a BMG Property Management, uma agência de gerenciamento de instalações imobiliárias com sede em Cork, que doou 1.000 euros, e a Andy New Angel Cleaning, uma empresa que fornece serviços de limpeza na cidade, que contribuiu com 200 euros.

    No Instagram, internautas também se solidarizaram com a morte da jovem de Formiga, interior de Minas Gerais.

    Uma amiga escreveu nos comentários de uma das fotos de Bruna, que recentemente ela tinha pedido a Miller Pacheco, ex-namorado e suspeito de assassiná-la, para deixá-la em paz.

    A irmã de Bruna, Izabel Fonseca que conversou com a CNN, disse que a prefeitura de Formiga se prontificou a levar o corpo de Bruna até a cidade natal assim que ele chegasse ao Brasil.

    Bruna trabalhava como faxineira no Mercy University Hospital Cork e era formada em biblioteconomia pelo Unifor-MG. Ela morava na Irlanda desde setembro do ano passado quando foi fazer um intercâmbio.

    Miller Pacheco, de 29 anos, foi para Cork em novembro de 2022, quando os dois ainda namoravam. Ele é o principal suspeito do assassinato de Bruna.

    Nesta segunda-feira (02) o Tribunal Distrital de Cork decidiu manter Miller sob custódia até a próxima segunda-feira (9) quando ele deverá se apresentar novamente ao Tribunal.