Frio e chuva afastam carioca da praia no 1º fim de semana de flexibilização

A prefeitura do Rio de Janeiro flexibilizou as medidas restritivas de enfrentamento da Covid-19 na sexta-feira

Foto: Camila Portes

Pauline Almeida, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

 

Este sábado (8), o primeiro dia de praias liberadas aos fins de semana no Rio de Janeiro, é marcado pelo baixo movimento na areia e no mar por causa do tempo frio e instável. O ar de origem polar deixa as temperaturas amenas, entre 18ºC e 25ºC. O céu deve abrir parcialmente no período da tarde, mas pancadas de chuvas estão previstas ao longo de todo o dia. Por causa das precipitações, desde 8h50 de sexta-feira (7), o município está em estágio de mobilização, segundo o Centro de Operações.

A prefeitura do Rio de Janeiro flexibilizou as medidas restritivas de enfrentamento da Covid-19 na sexta-feira. As praias e cachoeiras, que estavam liberadas ao público apenas nos dias úteis, passam a ser permitidas também aos fins de semana e feriados.

Outra novidade é o fim da restrição no horário de funcionamento de bares, restaurantes e quiosques da orla. Os estabelecimentos deixam de ter hora para fechar, mas devem seguir algumas regras. Música ao vivo só está permitida até as 23h. O consumo deve ser restrito a clientes sentados, com distanciamento mínimo de dois metros entre mesas e limitado a oito pessoas em cada uma delas.

O município também voltou a permitir o funcionamento de casas de espetáculo e concertos, com capacidade do público restrita a 40% em locais fechados e 60% em locais abertos, sempre com distanciamento mínimo de 1,5 metro entre os participantes. Os estabelecimentos não podem registrar filas de espera nem aglomerações.

Já o funcionamento de boates, salões de dança, rodas de samba e festas continua proibido, assim como o acesso de ônibus e demais veículos fretados de outros municípios.

Em coletiva de imprensa na sexta-feira, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, negou um “liberou geral” e diz que pode endurecer novamente as medidas restritivas se a população não colaborar no respeito às regras. A fiscalização continua sendo feita por agentes da Secretaria Municipal de Ordem Pública, Instituto de Vigilância Sanitária e Guarda Municipal.

O Rio de Janeiro soma 281.950 casos confirmados de Covid-19 e 24.597 mortes causadas pela doença. Pelo segundo dia seguido, a cidade voltou a registrar mais de 6 mil novos casos em 24 horas. Diante da flexibilização em meio aos altos números, o prefeito Eduardo Paes justificou que o resultado vem de um represamento de notificações.

“O que houve foi um atraso no processo de digitação e de investigação de dados. Esses casos foram distribuídos ao longo de uma curva que é descendente. Não há incoerência. Nós tomamos decisões com base em fatos. É um esclarecimento feito com um pedido de desculpas”, afirmou à imprensa.

Mais Recentes da CNN