Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Frio em São Paulo: sobe para 16 o número de mortes de pessoas em situação de rua

    Informação é do Movimento Estadual da População em Situação de Rua de São Paulo; não foram divulgados dados oficiais

    Pessoas em situação de rua em abrigo feito na estação Pedro II, em São Paulo
    Pessoas em situação de rua em abrigo feito na estação Pedro II, em São Paulo Foto: Govesp

    Giovanna Galvani e Julyanne Jucá, da CNN, em São Paulo

    A onda polar que gerou um frio recorde em São Paulo já vitimou 16 pessoas em situação de rua da capital paulista, divulgou o Movimento Estadual da População em Situação de Rua de São Paulo (MEPSR-SP) nesta sexta-feira (30). O dado representa o acumulado registrado desde o final de junho.

    Hoje, a cidade de São Paulo registrou a sua menor temperatura de 2021, com média mínima de 3,2°C e temperatura mínima absoluta de – 3ºC em Engenheiro Marsilac, no extremo sul da cidade. Esta é a menor mínima média registrada na cidade e a menor temperatura absoluta em 17 anos, tempo que o CGE coleta as temperaturas na capital paulista.

    Nos últimos dias, a Prefeitura de São Paulo anunciou que organizaria abrigos temporários para essa população dentro de estações de metrô da área central da capital. Com funcionamento a partir das 20h até às 8h da manhã do dia seguinte, o abrigo é exclusivamente masculino e disponibiliza alimentação, água potável, colchões e cobertores, e 20 banheiros químicos.

    De acordo com a prefeitura de Ricardo Nunes (MDB), foram criadas 1.054 vagas em abrigos no período de emergência. Há outras 24 mil vagas em abrigos já existentes, criamos outras 

    Campanhas sustentadas pelo governo estadual também distribuíram 2,7 mil cobertores e 600 colchões para essa população. Segundo o estado, foram abertas “duas mil vagas de alojamento provisório em 134 cidades do estado”. 

    Não foram divulgadas informações oficiais sobre vítimas do frio nos últimos dias.

    *Com informações da Camila Neumam, da CNN