Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Governo realiza nova operação em 51 presídios do Brasil para apreender celulares

    Em fases anteriores, mais de dois mil aparelhos foram apreendidos

    Governo realiza nova operação em 51 presídios do Brasil para apreender celulares
    Governo realiza nova operação em 51 presídios do Brasil para apreender celulares Divulgação

    Elijonas Maiada CNN

    A Secretaria Nacional de Políticas Penais (SENAPPEN), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, iniciou na manhã desta quarta-feira (24) a quarta fase da Operação Mute, que acontece de forma simultânea em 51 presídios do Brasil.

    O objetivo é identificar e retirar celulares localizados em unidades prisionais como forma de combater a comunicação do crime organizado e reduzir os índices de violência em âmbito nacional.

    A operação tem atuação de policiais penais federais e estaduais até a sexta-feira (26). Na ação, policiais penais utilizam tecnologia para saber em quais celas tem aparelhos e, assim, realizam as revistas em pavilhões e celas.

    Segundo a Senappen, essas comunicações proibidas configuram um problema nacional com sérios impactos sociais, psicológicos e econômicos. Neste contexto, a Diretoria de Inteligência Penitenciária (DIPEN) propõe medidas de implementação de rotinas e procedimentos nos estabelecimentos penais e em conjunto com outras forças para o enfrentamento das comunicações proibidas no sistema prisional nacional.

    Fases anteriores

    A mais recente fase da operação foi entre janeiro e fevereiro. O balanço parcial da Secretaria Nacional de Políticas Penais mostrou que 1.013 celas foram revistadas por 1.443 policiais em todo o Brasil. Um total de 316 celulares foram apreendidos em apenas um dia.

    Nas duas fases anteriores, 8.199 policiais penais foram envolvidos e 8.569 celas passaram por revista.

    A primeira fase ocorreu de 16 a 27 de outubro, resultando na apreensão de 1.166 aparelhos celulares, um revólver, armas brancas e substâncias análogas a entorpecentes. A revista geral ocorreu em 68 penitenciárias, de 26 estados.

    A segunda fase foi em 11 de dezembro e culminou na apreensão de 1.056 celulares em presídios.