Grupo de risco: Quase 10% dos professores do Rio não voltam às aulas presenciais

Corpo docente da rede municipal de ensino deve ficar ainda mais desfalcado no retorno às escolas, se somadas pessoas com comorbidades

Alunos em sala de aula com distanciamento
Alunos em sala de aula com distanciamento Crédito: CNN Brasil

Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Com a previsão de retorno das aulas presenciais para o dia 24 de fevereiro, a rede municipal de ensino do Rio de Janeiro já conta com um desfalque de quase 10% de todo contingente de professores da capital. 

Mais de 3 mil profissionais da rede pública possuem 60 anos ou mais e só devem retornar ao trabalho presencial após serem vacinados contra a Covid-19. O número representa 9% dos 39 mil profissionais da rede de ensino. 

O plano de imunização da cidade prevê a imunização de idosos a partir de 80 anos até o final de fevereiro. Cariocas entre 60 e 74 anos serão vacinados na segunda fase do planejamento da prefeitura. 

A quantidade de professores afastado das atividades presenciais, entretanto, ainda pode aumentar. A prefeitura deve receber, na próxima semana, atestados de profissionais que se declarem com comorbidades. 

O secretário municipal de Educação, Renan Ferreirinha demonstrou, nesta sexta-feira (29), os protocolos sanitários adotados para garantir a segurança de alunos, professores e comunidade escolar para o retorno presencial das aulas na cidade do Rio.

Mais Recentes da CNN