Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Grupo de trabalho irá investigar lavagem de dinheiro de organizações criminosas no Rio

    Anúncio foi feito após reunião entre o governador Cláudio Castro e o Ministério da Justiça

    Castro teve encontro com representante do Ministério da Justiça nesta terça-feira (24)
    Castro teve encontro com representante do Ministério da Justiça nesta terça-feira (24) Arquivo

    Isabelle Salemeda CNN

    São Paulo

    Após uma reunião com o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, anunciou nesta terça-feira (24) a criação de um grupo de trabalho para investigar a lavagem de dinheiro das máfias que atuam no território fluminense.

    A reunião foi nesta terça-feira (24) no Palácio Guanabara.

    De acordo com o governo fluminense, o grupo terá a participação de representantes de instituições de segurança e controle financeiro, como a Fazenda Estadual, Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) e a Secretaria Nacional de Segurança Pública, entre outros. E a ideia é promover a asfixia financeira das organizações criminosas.

    “Queremos dar um resultado perene, que funcione, que asfixie essas máfias e permita dar uma vida melhor para nosso povo”, disse Castro.

    Sobre a necessidade da intervenção federal, ideia que já foi negada também pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o governador concordou não haver necessidade. O momento seria de união de esforços.

    “Nós estamos avançando no processo de integração. Os agentes da Força Nacional já estão aqui nas rodovias federais. Eu pedi ao presidente da República, e também já pedi agenda ao ministro da Defesa, José Múcio, para termos o reforço da Marinha atuando na Baía de Guanabara e nos portos do Estado, além do reforço da Aeronáutica nos aeroportos, que é por onde entram drogas e armas”, disse Castro.

    “O próprio crime de lavagem de dinheiro é um crime federal. É muito importante que a Receita Federal e a Polícia Federal estejam nos auxiliando neste tipo de combate”.

    Tópicos

    Tópicos