Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Helicóptero caiu quando tentava retornar a SP, informa polícia

    Acidente ocorreu poucos minutos depois que a aeronave decolou do local onde havia feito pouso de emergência; ninguém sobreviveu

    O delegado Paulo Sérgio Rios Campos Melo e o coronel Ronaldo Barreto de Oliveira durante entrevista coletiva sobre a queda do helicóptero em SP
    O delegado Paulo Sérgio Rios Campos Melo e o coronel Ronaldo Barreto de Oliveira durante entrevista coletiva sobre a queda do helicóptero em SP Reprodução/CNN

    Fábio Munhozda CNN Em São Paulo

    As investigações preliminares sobre a queda do helicóptero que ia de São Paulo a Ilhabela no dia 31 de dezembro revelam que o piloto da aeronave estava tentando voltar para a capital paulista quando caiu na mata. Os destroços foram localizados na manhã desta sexta-feira (12) em Paraibuna, no Vale do Paraíba. Ninguém sobreviveu.

    Em diálogo com o operador do heliponto onde faria o pouso, o piloto Cassiano Tete Teodoro falou sobre o mau tempo e disse que estava com dificuldade para cruzar a serra.

    O piloto chegou a fazer um pouso de emergência em Paraibuna. Ele decolou e, segundo a polícia, caiu poucos minutos depois. A distância entre a área do pouso e o local onde os destroços foram encontrados é de aproximadamente 10 quilômetros. Uma das passageiras mandou ao namorado uma foto do ponto de pouso, mas não sabia precisar a localização.

    O delegado Paulo Sérgio Rios Campos Melo, diretor do Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope), da Polícia Civil de São Paulo, afirmou que “pela sequência de antenas e pelos horários por onde ele passou”, é possível chegar à conclusão que o piloto estaria tentando retornar ao aeroporto Campo de Marte, na cidade de São Paulo.

    “Ele saiu [do local onde a aeronave havia pousado], voou um pouco, ficou tentando escapar das nuvens para retornar a São Paulo e não conseguiu, infelizmente”, diz Campos Melo.

    O coronel Ronaldo Barreto de Oliveira, chefe do Comando de Aviação da Polícia Militar de São Paulo, afirmou também que ainda não é possível esclarecer o que provocou a queda. Entretanto, ele cita que, provavelmente, as condições climáticas adversas contribuíram para o acidente.

    “Ele [o piloto] pode entrar no mau tempo, perder visibilidade e a consciência situacional e desorientar. É comum para quem entra inadvertidamente na área de nuvem”, explica.

    Além de Cassiano, estavam a bordo o empresário Raphael Torres, 41, a comerciante Luciana Rodzewics, 46, e a filha dela, Letícia, 20.