Helicóptero do Ibama cai em combate a fogo no Pantanal; bombeiro militar morre

Corpo do comandante Mauro Tadeu ainda estava desaparecido e só foi localizado algumas horas depois

Karla Chaves, Julyanne Jucá e Rudá Moreira, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Um helicóptero do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) caiu em uma área alagada por volta das 11h desta segunda-feira (30) no Pantanal, próximo a divisa dos estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Um militar dos Bombeiros do Pará morreu. 

Segundo informado por fonte do Corpo de Bombeiros do MT à CNN, o aparelho foi encontrado às 4h desta terça sem o comandante Mauro Tadeu, de 54 anos. Seu corpo só foi localizado horas depois. As causas do acidente ainda são desconhecidas.

Leia e assista também

Após suspensão, Ibama determina volta dos brigadistas no combate às queimadas

Helicóptero cai no Pantanl
Helicóptero do Ibama era usado em operação de combate ao fogo no Pantanal
Foto: Reprodução

Segundo informado pelos Bombeiros, o militar atuava no combate aos incêndios que ocorrem no Pantanal. O helicóptero caiu durante a manobra conhecida como “bambi”, em que é feita a coleta de água para lançar no fogo. Para realizar esse processo, a aeronave mergulha uma bolsa de captação em uma lago, enche o equipamento e leva até o fogo. 

Ainda de acordo com os Bombeiros, o comandante já estava habituado a atuar na região. Na operação, ele operava o helicóptero sozinho em razão do tipo de missão: o chamado “fiel”, um auxiliar na pilotagem, é dispensado para diminuir o peso do aparelho.

O Ibama explicou à CNN que o piloto era contratado por uma empresa terceirizada, que presta serviço ao instituto. Segundo a assessoria do órgão, o piloto era experiente e havia executado a manobra corretamente, até perder contato com a tripulação que estava em solo. 

Ainda de acordo com as informações preliminares do Ibama, a equipe que estava em solo relatou ter ouvido, pelo rádio, gritos do piloto de que estava prestes a cair, logo antes de perderem a comunicação: “Estou caindo!”. Em seguida, foi ouvido o forte estrondo da queda.

O Protocolo de Busca e Salvamento foi acionado pelo Ibama junto à Aeronáutica e, portanto, a FAB responde pela investigação das causas do acidente.

A operação aérea de combate às queimadas teve de ser interrompida no Parque Nacional do Pantanal Matogrossense, devido à queda do avião. Segundo o Ibama, o enfrentamento ao incêndio na região segue agora apenas com agentes combatendo as chamas em solo.

O Corpo de Bombeiros do Pará informou, por meio de nota, que Tadeu era coronel da reserva e pertenceu ao quadro de saúde da corporação, como odontólogo, onde serviu por 19 anos. Atualmente, trabalhava como piloto comercial em uma empresa privada de aviação e serviços aéreos.

(Com informações de José Brito)

 
 

Mais Recentes da CNN