Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Homem que matou membro do PT recebe alta da UTI, dizem fontes da polícia

    Jorge José da Rocha Guaranho estava na UTI do Hospital Ministro Costa Cavalcanti, em Foz do Iguaçu

    André Rosada CNN

    São Paulo

    O agente penitenciário federal Jorge José da Rocha Guaranho recebeu alta da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Ministro Costa Cavalcanti, em Foz do Iguaçu, no Paraná. Preso preventivamente e sob custódia policial, ele continua internado em um leito de enfermaria no hospital, de acordo com fontes da Polícia Civil do Paraná.

    A CNN apurou que Guaranho está consciente e não faz uso de medicamentos vasoativos e sedativos.

    Apesar de o quadro permanecer estável, ele foi extubado e submetido a uma traqueostomia (procedimento para facilitar a respiração). O paciente respira de forma espontânea, sem aparelhos.

    Em nota, a Fundação de Saúde Itaiguapy, que administra o Hospital Ministro Costa Cavalcanti, informou que “por norma institucional, em linha com as normas atuais da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), não fornece informações públicas de pacientes internados no hospital. Portanto, quaisquer informações em relação ao prontuário médico ou quadro clínico dos pacientes não podem ser fornecidas por questão de sigilo. Informações oficiais poderão ser repassadas diariamente para os órgãos competentes, assim que solicitado de forma oficial, segundo os meios legais”.

    Procurada, a defesa de Guaranho se pronunciou dizendo que “a pedido da família entendemos por bem não repassar nenhum tipo de informação acerca do estado clínico do Jorge. Isso serve para preservar a integridade física dele. Então nós entendemos por bem não repassar nenhum tipo de informação nesse sentido”, afirmou a advogada Poliana Lemes Cardoso.

    Marcelo Arruda foi sepultado na segunda-feira (11) no Cemitério do Jardim São Paulo, em Foz do Iguaçu (PR), com uma grande comoção de familiares e amigos. O corpo foi levado em cortejo pelo centro da cidade em um carro da Guarda Municipal. Arruda atuou na corporação por 28 anos.

    Arruda era filiado ao PT, tesoureiro e foi candidato a vice-prefeito da cidade paranaense em 2020. De acordo com boletim de ocorrência registrado na ocasião, ele foi morto a tiros durante sua festa de aniversário de 50 anos por Guaranho, que é agente penitenciário federal e apoiador do presidente Jair Bolsonaro (PL).

    A comemoração foi interrompida por Guaranho que, segundo testemunhas, teria gritado “aqui é Bolsonaro”, antes de começar a atirar.

    Guaranho efetuou os dois primeiros disparos, acertando a vítima. Imagens de uma câmera de segurança mostram quando Arruda, mesmo ferido e já caído, dispara contra o agente penitenciário. Guaranho, que teve a prisão preventiva decretada, foi internado em estado grave.

    A Polícia Civil do Paraná descartou a motivação política no assassinato do guarda municipal. Nesta terça-feira (19), a Justiça do Paraná determinou que o inquérito que indiciou o policial penal pela morte do militante seja devolvido à Polícia Civil para realização de novas diligências, entre elas a análise e perícia de imagens de câmeras de segurança e o novo depoimento de um dos diretores do local em que o crime ocorreu.