Ianomâmis denunciam garimpeiros por estupro e morte de menina de 12 anos

Segundo liderança Ianomâmi, garimpeiros invadiram a comunidade na região de Waikás, em Roraima, e atacaram três indígenas

Fernanda Pinottida CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

A comunidade Ianomâmi denunciou a morte de uma menina indígena de 12 anos, que teria sido estuprada por garimpeiros. O crime teria ocorrido na região de Waikás, em Roraima, uma das áreas afetadas pelo garimpo ilegal.

O presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye’kuana, Júnior Hekurari Yanomami, falou sobre o caso em vídeo publicado em sua conta no Twitter. “Me falaram que os garimpeiros invadiram a comunidade, levaram uma mulher e uma adolescente. A adolescente tinha 11, 12 anos. Os garimpeiros violentaram, estupraram ela e (isso) ocasionou o óbito.”

No vídeo, ele também afirma que uma criança  de 4 anos, que estava junto à mulher mais velha, está desaparecida dentro do rio. Veja a publicação:

Em nota enviada à CNN, a Fundação Nacional do Índio (Funai) disse que está acompanhando o caso em articulação com as forças de segurança e está disponível para colaborar com os trabalhos de proteção à comunidade. A Funai também afirmou que tem atuado continuamente em ações de fiscalização na região.

A CNN também procurou o Ministério Público Federal, mas ainda não obteve retorno.

Mais Recentes da CNN