Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Influenciador relata ter sido impedido por companhia aérea de pedir namorado em casamento durante voo

    De acordo com Lucas Estevam, comandante da Azul se negou a autorizar sua solicitação durante viagem entre os EUA e Campinas

    O influenciador digital Lucas Estevam.
    O influenciador digital Lucas Estevam. Reprodução/ Lucas Estevam

    Gabriele KogaLucas Schroederda CNN

    em São Paulo

    O influenciador digital Lucas Estevam relatou, nas redes sociais, que a companhia aérea Azul negou que ele pedisse o namorado em casamento durante um voo entre Fort Lauderdale (EUA) e Campinas, na noite de quarta-feira (8).

    “Acabei de viver meu pior voo da vida. Nunca imaginei me frustrar tanto. Eu me senti tão negligenciado que mal conseguia falar. Eu só chorava da decepção que foi planejar algo tão lindo e especial e ser proibido de demonstrar a bordo”, relatou.

    De acordo com Estevam, o comandante da aeronave teria se negado a autorizar o pedido e alegado que, para tais solicitações, seria preciso entrar em contato com a equipe de marketing da Azul.

    O influenciador então se dirigiu à galley – cozinha do avião – e pediu o namorado em casamento. “Me virei nos 30 para conseguir tirar foto sem aparecer o logo da Azul (o piloto pediu isso). E ninguém da tripulação se ofereceu para tirar uma foto nossa ou ajudar”, acrescentou.

    Em nota, a companhia aérea informou que “tomou conhecimento e apurou internamente a situação”. A empresa reiterou que “não foi consultada sobre a celebração que seria feita, que incluía uso de equipamentos eletrônicos na cabine de clientes”.

    Ainda conforme a Azul, a tripulação do voo entrou em contato com a empresa e após serem autorizados, organizaram e auxiliaram no pedido de casamento, feito na galley.

    “Diversas celebrações como essa já foram realizadas em nossas aeronaves, motivo de muita felicidade para a empresa, que repudia veementemente qualquer tipo de preconceito e discriminação, seja ele qual for”, finaliza a nota.