Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Inmet emite alerta de tempestades para 12 Estados e DF

    Além do Distrito Federal, estão em alerta: Pará, Rondônia, Tocantins, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, Ceará, Maranhão, Pernambuco e Piauí

    Inmet emite alerta de tempestades para 12 Estados e DF
    Inmet emite alerta de tempestades para 12 Estados e DF Reprodução/Inmet

    Estadão Conteúdoda CNN

    São Paulo

    O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta no início da manhã desta quarta-feira (3), para o risco de tempestade em 12 Estados do País, além da região de Brasília.

    Segundo o comunicado, a previsão é de volumes de chuva que podem variar entre 50 e 100 mm/dia, além de ventos intensos entre 60 a 100 km/h.

    Com isso, há risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas nos Estados que devem ser atingidos por esse sistema climático.

    O alerta vale para:

    – Região Norte: possibilidade de volumes mais intensos para municípios do Pará, Rondônia e Tocantins;

    – Região Centro-Oeste: partes dos Estados de Goiás e Mato Grosso está no mapa das chuvas;

    – Região Sudeste: Minas Gerais e Espírito Santo devem receber o maior volume de precipitação nas próximas horas;

    – Região Nordeste: Bahia, Ceará, Maranhão, Pernambuco e Piauí serão os mais afetados.

    Apesar do aviso, o Inmet lembra que ele não necessariamente garante a ocorrência de chuvas intensas em todas as regiões, já que a possibilidade de precipitação volumosa e localizada é típica do verão e, nesse caso, se deve à atuação da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), que passa pelas regiões Norte, Centro-Oeste e Sudeste.

    O Inmet afirma ainda que os modelos meteorológicos do instituto mostram que o primeiro mês de 2024 indica chuva abaixo da média no Norte e Sul do País e acima da média no Centro-Oeste, Sudeste e Nordeste. As temperaturas deverão ser acima da média em praticamente todo o Brasil, assim como nos últimos meses de 2023 com ondas de calor localizadas e podendo chegar a patamares recordes.