Investigações sobre milícias digitais, novos ministros do STJ e mais de 10 de abril

Ministro Alexandre de Moraes, do STF, decidiu que um inquérito que investiga o presidente Jair Bolsonaro por ataque às urnas eletrônicas e outro sobre milícias digitais serão apurados em conjunto

Presidente Jair Bolsonaro
Presidente Jair Bolsonaro 20/04/2022REUTERS/Adriano Machado

Da CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

As investigações sobre ataques do presidente Jair Bolsonaro (PL) às urnas eletrônicas e suposta atuação de uma milícia digital serão feitas em conjunto, após decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Investigações conjuntas

O ministro do STF Alexandre de Moraes se baseou em um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) e decidiu que os inquéritos que investigam ataques do presidente Jair Bolsonaro (PL) às urnas eletrônicas e suposta atuação de uma milícia digital serão realizados em conjunto.

O magistrado pontuou que eles foram instaurados após “fortes indícios e significativas provas apontando a existência de uma verdadeira organização criminosa, de forte atuação digital e com núcleos de produção, publicação, financiamento e político com a nítida finalidade de atentar contra a Democracia e o Estado de Direito”.

Nomeações para o STJ

O presidente Jair Bolsonaro (PL) deve nomear ainda neste mês dois ministros para o Superior Tribunal de Justiça (STJ), que tem duas cadeiras vazias após um ministro se aposentar e outro sair do órgão.

Há mais de um ano, o tribunal adia a votação de uma lista para enviar ao Palácio do Planalto por falta de articulação interna entre os ministros.

Hepatite aguda infantil

Um levantamento feito pela Agência CNN atualizado nesta terça-feira (10) revela que o Brasil tem 20 casos suspeitos de hepatite aguda grave infantil.

As informações, no entanto, divergem do Ministério da Saúde. Em nota divulgada na segunda-feira (9), a pasta informou que são 16 casos suspeitos, mas não enviou a relação dos estados em que os casos estão localizados.

Possível volta de Trump ao Twitter

O bilionário Elon Musk, que recentemente assinou um acordo de compra do Twitter no valor de US$ 44 bilhões, disse nesta terça-feira (10) que reverteria o banimento do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump à rede social.

Musk se autodenomina “absolutista da liberdade de expressão” e disse que a decisão pela exclusão do magnata da rede era “moralmente errada e totalmente estúpida”.

Fim da produção de iPods

Após 20 anos, a Apple anunciou que está ‘aposentando’ o iPod Touch, o último modelo que resta em sua linha.

Ainda assim, a companhia afirmou que “o espírito do iPod vive”. O atual Touch será vendido “enquanto durarem os estoques”.

Newsletter

Para receber as principais notícias todos os dias no seu e-mail, cadastre-se na nossa newsletter 5 Fatos em newsletter.cnnbrasil.com.br

(Publicado por Tiago Tortella, da CNN)

Mais Recentes da CNN