Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Isolados pela enchente no RS, moradores não têm onde dormir e ajuda chega pelo céu

    Uma pessoa morreu em decorrência das chuvas em São Jerônimo

    Bruno Laforéda CNN

    A cidade de São Jerônimo, a cerca de 280 quilômetros de Porto Alegre, ficou completamente ilhada após fortes chuvas atingirem a região desde a semana passada. O município é banhado pelo Rio Jacuí, que inundou com o alto volume de água recebido. Uma pessoa morreu no município.

    De acordo com relatos de moradores, a água começou a baixar na quinta-feira (9) e algumas ações de limpeza urbana puderam ser iniciadas. Apesar disso, muitos moradores que tiveram as casas danificadas seguem dormindo em locais improvisados.

    “Estamos isolados da região metropolitana por terra, e os mantimentos chegam apenas por helicóptero e, em parte, por barcos vindos de General Câmara”, relatou o documentarista Juliano Ambrosini.

    Em um vídeo gravado por ele, é possível ver o momento que uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) arremessa pacote de mantimentos com auxílio de paraquedas. Veja:

    De acordo com a FAB, a carga lançada ontem na cidade tinha 2,4 toneladas de fardos de água e cestas básicas.

    “Uma das necessidades mais urgentes são colchões, pois muitas pessoas estão dormindo de forma improvisada. Além disso, produtos de limpeza e higiene pessoal são essenciais neste momento”, comenta Ambrosini.

    A defesa civil municipal diz que organiza uma logística para os mantimentos coletados pela cidade cheguem aos moradores e que recursos estão sendo buscados junto ao governo federal. Uma quantidade suficiente para abastecer os cidadão foi juntada e deve ser entregue durante a sexta-feira (10).

    Ajuda pelos ares

    Desde a última quinta-feira (9), a FAB realiza operações para lançar itens essenciais a cidades isoladas pelas enchentes no Rio Grande do Sul.

    Os oficiais também lançaram, ontem, um kit de mantimentos para uma família que está ilhada em Rio Pardo (RS). Foram arremessados fardos de água, alimentos, lanternas e ponchos para aquecimento.

    Antes, os militares endereçaram a eles um bilhete com orientações, conforme nota divulgada:

    “Os moradores são orientados a montar um sinal de ‘Y’ no chão se precisarem ser resgatados ou ‘X’ se quiserem mantimentos. Neste caso, os ilhados montaram um sinal de X.