Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Jovem morta em BH: polícia aguarda perícia para saber se garota foi estuprada

    No local onde a adolescente foi morta, polícia encontrou um preservativo usado, mas ainda não se sabe se o material tem relação com o crime

    Imagens mostram o momento em que a adolescente aparece acompanhada do homem de 21 anos
    Imagens mostram o momento em que a adolescente aparece acompanhada do homem de 21 anos Reprodução

    Luan Leãoda CNN*

    São Paulo

    A Polícia Civil de Minas Gerais aguarda o resultado dos laudos periciais para confirmar se a adolescente Ana Luiza Gomes, de 12 anos, que foi encontrada morta na última terça-feira (16) em Belo Horizonte (MG), foi violentada sexualmente. A polícia trabalha com o prazo inicial de dez dias para a conclusão do caso.

    O delegado Leandro Alves Santos, titular da Delegacia Especializada em Homicídios de Belo Horizonte, informou nesta quarta-feira (17) que foram recolhidos no local do crime um preservativo já usado e algumas fitas de vídeo. Os materiais foram enviados para a análise. Ainda não se sabe se o preservativo encontrado tem relação com o crime.

    Segundo o delegado, em o depoimento, o suspeito apresentou “buracos na história”. O preso disse que teria apenas prestado auxílio à vítima, que teria pedido água a ele.

    Os exames preliminares realizados ainda no local não encontraram marcas no corpo da vítima, afirma o delegado.

    A Polícia Civil solicitou exames toxicológicos para saber se Ana Luiza fez uso de alguma substância. Os investigadores aguardam o resultado para saber a causa da morte da adolescente e se ela já estava morta quando foi deixada na calçada.

    “A gente ainda depende de resultados de exames periciais e também de outras diligências para confirmar se houve violência sexual”, diz delegado.

    Segundo Alessandra Wilke, chefe do Departamento Estadual de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o homem preso em flagrante já acumula passagem pela polícia pelos crimes de estupro, tráfico de drogas e furto.

    A chefe do DHPP disse também que o imóvel em que Ana Luiza estava com o suspeito era utilizado por ele para uso de drogas e práticas sexuais. O delegado Leandro Alves ressaltou que o imóvel pertence ao tio do suspeito.

    Pelas informações colhidas até o momento, o suspeito e a vítima teriam tido uma conversa antes de se encontrarem, mas, segundo a polícia, ainda não é possível afirmar que já se conheciam.

    A Polícia também não confirmou a informação de que a adolescente teria tido uma briga com a família antes de encontrar o suspeito.

    Além do homicídio, os investigadores também não descartam que o suspeito tenha cometido outros crimes como estupro, fraude processual e corrupção de menor.

    Entenda o caso

    A adolescente foi encontrada morta numa rua no bairro Bela Vista, na zona leste de Belo Horizonte, na tarde de terça-feira (16).

    Segundo a Polícia Civil de Minas Gerais, um homem de 25 anos foi localizado e preso em flagrante. Ele foi ouvido e autuado, a princípio, pelo crime de homicídio qualificado.

    Imagens de câmeras de segurança mostram o momento em que a jovem aparece acompanhada do homem. Os dois entram em uma casa às 10h13.

    Cerca de três horas depois, às 13h30, o homem aparece vestindo outra camiseta, olha para os lados, volta para dentro da casa e retorna com a menina nos braços já desacordada. Ele a deixa na calçada e vai embora.


    * Sob supervisão de Bianca Camargo