Justiça do Rio decreta prisão de bicheiro por assassinato de Fernando Iggnácio

A vítima e o acusado de ser mandante do crime são, respectivamente, genro e sobrinho do falecido contraventor Castor de Andrade

Tribunal de Justiça do Rio
Tribunal de Justiça do Rio Foto: Paula Martini/CNN

Adriana Freitas, da CNN no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

 A juíza Viviane Ramos de Faria, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) decretou a prisão preventiva do contraventor Rogério Andrade e de mais cinco pessoas, por envolvimento na morte de Fernando Iggnácio, em novembro de 2020.

Além de Andrade, tiveram a prisão preventiva decretada Rodrigo Silva das Neves, Ygor Rodrigo Santos da Cruz, Pedro Emmanuel D’onofre Andrade Silva Cordeiro, Otto Samuel D’onofre Silva Cordeiro e Márcio Araújo de Souza.

Na sexta-feira, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 3ª Promotoria de Investigação Especializada, havia denunciado à Justiça os seis homens pelo assassinato de Fernando de Miranda Iggnácio, em 10 de novembro de 2020 no estacionamento de um heliporto no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio.

Fernando Iggnácio e Rogério de Andrade, este acusado de ser o mandante do crime, são, respectivamente, genro e sobrinho do falecido contraventor Castor de Andrade, que foi chefe do jogo do bicho no Estado do Rio de Janeiro. 

De acordo com a denúncia, Marcio Araújo de Souza, um dos responsáveis pela segurança pessoal de Rogério de Andrade, foi o responsável por contratar os demais denunciados para executarem o crime. A investigação identificou que Rodrigo das Neves e Ygor da Cruz já trabalharam como seguranças da Escola de Samba Mocidade Independente de Padre Miguel, cujo patrono é Rogério de Andrade.

Mais Recentes da CNN