Justiça nega pedido de Flordelis para substituir testemunha no caso Anderson

Deputada solicitou a justiça que sua filha de 14 anos seja ouvida no lugar do pai de Anderson do Carmo

A deputada Flordelis
A deputada Flordelis Foto: Claudio Andrade/Câmara dos Deputados

Iuri Corsini**, da CNN, do Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A juíza Nearis dos Santos Arce, da 3° Vara Criminal de Niterói, negou, nesta sexta-feira (8), pedido da defesa de Flordelis, que solicitou a substituição de Jorge de Souza, pai de Anderson do Carmo, pela menor Ágata, filha adotiva de Flordelis, como testemunha do caso que investiga a morte de Anderson.

De acordo com Regiane, uma das testemunhas no processo, a menina de 14 anos teria se automutilado após uma briga com Flordelis. Conforme dito por essa testemunha, em uma das audiências de instrução e julgamento realizadas, a parlamentar, em um momento de raiva, xingou e ameaçou a menor.

Leia e assista também:
RJ: 1º mês do programa de testagem em massa operou a 40% da capacidade anunciada
Réveillon: brasileiros viajaram menos e gastaram mais com lazer e compras
PSOL vai ao Supremo para que Bolsonaro apresente provas de fraude eleitoral

O pedido foi feito em audiência no dia 4 de dezembro do ano passado e teve seu indeferimento assinado hoje pela juíza responsável pelo caso. 

“Nos posicionamos de forma contrária à oitiva da adolescente por não podermos mensurar os danos que podem ser causados à Ágata. Soma-se a isso o fato de que a adolescente acaba de passar por uma internação delicada e não consideramos prudente, no momento, que ela se submeta a tal exposição”, justificou Nearis dos Santos.

Em outro pedido solicitado pela defesa de Flordelis, a ré solicitou autorização para viajar para outro estado, sob argumento de ter compromisso parlamentar. Todavia, a juíza certificou o cartório para que este informe se houve a devida comprovação de evento e, na ausência de tal comprovante, negou, ao menos por agora, o pedido de viagem feito. 

Já foram cinco audiências realizadas, ocasiões em que foram ouvidas, além dos réus (como a própria Flordelis), testemunhas de defesa e de acusação. Como existe um número elevado de testemunhas e réus, uma nova audiência já foi marcada para o próximo dia 22.

Flordelis é apontada pelo Ministério Público do Rio como a mandante do crime que matou o seu então marido, o pastor Anderson, assassinado a tiros em sua casa, em Niterói, em junho do ano passado.

*Sob supervisão de Robson Santos

Mais Recentes da CNN