Leilão da ONG Médicos Sem Fronteiras arrecada mais de R$ 320 mil

Serigrafia do Kobra foi o item mais caro, arrematado por R$17,2 mil. Peças que não foram vendidas ficam disponíveis em leilão online até quarta-feira (24)

Helena VieiraMylena GuedesBeatriz Puenteda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Pouco mais de duas horas após o início do leilão da organização internacional Médicos Sem Fronteiras, peças como a serigrafia de Eduardo Kobra, o violão autografado de Chitãozinho e Xororó e os figurinos do ator Paulo Gustavo foram arrematados.

Com a venda de 71 lotes, foram arrecadados R$ 326.115,00 para a ONG, que completa 50 anos em 2021.

A peça com o maior lance foi a de Kobra, comercializada por R$ 17,2 mil. O instrumento musical da dupla sertaneja foi arrematado por R$ 9,1 mil e o figurino de Paulo Gustavo no filme “Minha vida em Marte”, por R$ 9,8 mil.

Itens doados pelo viúvo do ator, Thales Bretas, também foram vendidos. O primeiro lote era uma blusa e um casaco da marca Fause Haten. A camisa foi usada pelo humorista em uma peça. Já o casaco foi vestido durante uma entrevista para a jornalista Marília Gabriela em 2016. Os dois itens foram vendidos por R$ 5,8 mil.

Outras peças pertencentes a famosos, como a camisa do Santos autografada por Pelé e um violão da banda Titãs também foram vendidos por R$ 4,9 mil e R$ 5,6 mil, respectivamente.

Segundo a organização, as peças que não foram adquiridas no leilão online, realizado ao vivo na segunda-feira (22), ficarão disponíveis no site até a próxima quarta-feira (24). Elas ainda podem ser arrematadas e vistas presencialmente na galeria que fica na Rua R. Dr. Melo Alves, 397, Cerqueira Cesar, em São Paulo (SP). Ao todo, foram 97 itens disponibilizados para lances.

Este é o primeiro leilão beneficente realizado pela organização. Todas as peças foram doadas por famosos e instituições e incluem quadros, vinhos, joias, entre vários outros artigos, divididos em 80 lotes com lance mínimo a partir de R$ 500.

“Agradeço todos aqueles que doaram itens para serem leiloados e aos que estão participando desse evento beneficente. Cada lance arrecadado hoje nos ajuda a seguir salvando o maior número de vidas possível ao redor do mundo. Por isso, muito obrigada”, diz Ana de Lemos, diretora executiva do Médicos Sem Fronteira Brasil.

Em 2020, a ONG atuou em quase 90 países e, somente no Brasil, a Médicos Sem Fronteiras esteve presente em 12 estados para ajudar no combate à Covid-19. O primeiro projeto realizado no país foi feito há 30 anos.

Mais Recentes da CNN