Líderes religiosos defendem “o predomínio do diálogo” para 2022

Os convidados falaram em entrevista à CNN quais são as perspectivas das diferentes religiões para este ano

Ingrid OliveiraJuliana AlvesDuda CambraiaCamille Coutoda CNN

São Paulo

Ouvir notícia

Líderes religiosos, convidados pela CNN falam o que podemos esperar para 2022 sob a perspectiva da religião. O que todos eles têm em comum é a perspectiva do diálogo.

O pastor evangélico André Fernandes falou que “2022 vai ter os mesmos desafios que a gente enfrentou nos anos anteriores, o que vai mudar será forma como a gente se posiciona em relação a eles.”

Já o padre católico Tarcisio Mesquita aponta que o diálogo é o que deve predominar em 2022.

“O que nós devemos acentuar é o caminho da compreensão e do retorno do Brasil ao bom senso que nos conduz ao exercício democrático e participativo na diversidade que compõe o país.”

O rabino Dudu Levizon falou que é preciso combater o coronavírus espiritualmente. “A mensagem que nós podemos trazer para a humanidade independente da religião é que o Covid físico não está nas nossas mãos, apenas, vencer. Os laboratórios, médicos, governos tem muito mais acesso. O Covid espiritual está nas nossas mãos. Como vencer o medo, as paranoias e as discriminações.”

Por fim, o babalaôr Ivanir dos Santos disse que todos nós estamos próximos da força criadora e que independe do período ou da esperança. “Este é o momento que temos que ter um diálogo, como mostra essa mesa. Um diálogo que respeita a democrácia e o estado laico.” Confira o diálogo na íntegra.

 

Mais Recentes da CNN