Machado de Assis era um progressista, diz jornalista e advogado Miguel Matos

O jornalista falou sobre o mundo jurídico nas obras do escritor e a sua relação com a desigualdade de gênero

Da CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O CNN Nosso Mundo desta sexta-feira (1º) entrevistou o advogado e jornalista Miguel Matos. O assunto desta vez foi a relação entre o sistema de justiça brasileiro e um dos maiores escritores da história, nacional, Machado de Assis.

Matos é o autor de “Código de Machado de Assis – Migalhas Jurídicas”, onde investiga a relação do escritor com o mundo das leis. Ele acredita que a obra do chamado Bruxo de Laranjeiras ganha mais força quando analisada pelo viés jurídico.

Segundo o autor, o universo dos livros de Machado tem mais 200 personagens ligados ao direito, entre juízes, advogados, desembargadores e promotores.

Pelo viés do direito, ele trouxe à tona temas que não eram debatidos na época como: liberdade de religião, de culto e o voto feminino.

Machado era um progressista

Miguel Matos, advogado e jornalista

 

O advogado defende até mesmo o enigma mais famoso da literatura brasileira. Para Matos, Capitu traiu sim Bentinho em “Dom Casmurro”. Segundo ele, Machado deixou uma “pista jurídica” dentro da obra para comprovar isso.

Machado falava da desigualdade de gênero, que ele mesmo combatia

Miguel Matos, advogado e jornalista

Ao analisar o mundo jurídico do fim do século XIX, o escritor vê paralelos com o Brasil atual, em que o número de processos em tramitação passa dos 77 milhões, sendo que o tempo médio para a conclusão de um processo é de sete anos.

Miguel Matos é empreendedor digital, jornalista e advogado. Especialista em Gestão da Comunicação pela ECA/USP. Ele é criador do o Migalha, o primeiro veículo de notícias especializado na cobertura do Judiciário no país.

Ele foi entrevistado por Lia Block, Glória Vanique e Rita Wu, e quem comandou a atração é Luciana Barreto. O CNN Nosso Mundo é exibido às sextas-feiras, a partir das 22h30.

A CNN está no canal 577 nas operadoras Claro/Net, Sky e Vivo. Para outras operadoras, veja aqui como assistir à CNN. O programa também pode ser assistido ao vivo no site da CNN Brasil.

(Publicado por Evandro Furoni)

Mais Recentes da CNN