Mari Palma se emociona ao falar do pai em entrevista com Mario Sergio Cortella

A jornalista falou sobre como o isolamento social provocado pela COVID-19 afetou sua vida pessoal

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia
 

A âncora Mari Palma se emocionou ao falar sobre como o novo coronavírus mudou a convivência com seu pai, durante o terceiro episódio de O Mundo Pós-Pandemia, exibido neste sábado (2). Ao lado de Daniela Lima, Thais Herédia e Gabriela Prioli, ela entrevistou o filósofo Mario Sergio Cortella.

“O senhor falou da sua família, esse é um assunto que me toca muito. Meu pai é deficiente visual, ele não me vê, então o toque faz muita falta para ele”, disse. “Meu pai faz 70 anos esse ano e eu tenho sobrinhos que estão crescendo. Parece que a gente está perdendo tempo, apesar de eu ser próxima deles. Parece que eu não estou vendo eles crescendo”, prosseguiu.

“Estou perdendo uma fala nova, uma palavra nova, uma manchinha nova que aparece na mão do meu pai. E a minha dúvida é, a gente vai conseguir superar esse tempo que a gente tá perdendo?”

Leia também:
Cortella: Até que laços possam se juntar de novo, é um trauma que vamos carregar
Taxa de isolamento social em SP sobe para 56% no feriado

Cortella respondeu que “quando você lembra do teu pai, obviamente a convivência com ele agora fica restrita, mas isso não significa que se deva imaginar que esse tempo está sendo perdido. Ele está sendo usado de outro modo”, explica. 

O filósofo lembrou que o isolamento agora é constrangedor, porque é obrigatório, mas há momentos em que a gente faz essa escolha. “O toque está temporariamente suspenso. Mas quando voltar, se você ficar tocando ele o tempo todo, grudando, agarrando, é capaz que ele peça para você largar dele.”

As apresentadoras deram risada depois do comentário e Mari se viu obrigada a se dirigir a outro familiar. “Mãe, também te amo, viu? Tenho que falar porque rola um ciúmes. Mãe, te amo, to morrendo de saudades”, disse.

Clique aqui para assistir ao programa na íntegra.

Mais Recentes da CNN