Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Médico que atendia no RS está há uma semana em estado vegetativo, diz família

    O anestesista Walter José Roberte Borges, do Espírito Santo, sofreu um infarto durante um procedimento cirúrgico em Pelotas (RS)

    Walter teve um infarto e passou mais de 8 minutos sem oxigenação e os exames preliminares diagnosticaram sinais de lesões cerebrais.
    Walter teve um infarto e passou mais de 8 minutos sem oxigenação e os exames preliminares diagnosticaram sinais de lesões cerebrais. Reprodução: Conselho Federal de Medicina (CFM)

    Guilherme Gamada CNN

    São Paulo

    Desde a última segunda-feira (20), o médico Walter José Roberte Borges, de 50 anos, está em estado vegetativo em uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) no Hospital Escola de Pelotas (RS), de acordo com sua esposa, Daianny Coimbra Ulhoa, em entrevista à CNN.

    O anestesista viajou de Linhares, no Espírito Santo, até a cidade gaúcha onde presta serviço por uma empresa terceirizada e também atuava fora dos hospitais para ajudar as vítimas das enchentes no Rio Grande do Sul em resgates e primeiros socorros. Até este domingo (26), 169 pessoas morreram e 806 ficaram feridas no estado, de acordo com o boletim mais recente da Defesa Civil.

    O médico está em estado crítico e respira por ventilação mecânica, segundo foi informado à família pelo último boletim médico deste domingo (26).

    O homem tem hipertensão e passou mal durante um procedimento cirúrgico. Ainda de acordo com a esposa, que está em Pelotas, o profissional foi encontrado já desacordado em uma sala de descanso no hospital. De acordo com o hospital, após a “intercorrência” e ele foi imediatamente atendido pela equipe e necessitou ser internado.

    Walter José Roberte Borges e a esposa Daianny Coimbra Ulhoa. / Reprodução: Redes Sociais

    Walter teve um infarto e passou mais de 8 minutos sem oxigenação. Os exames preliminares diagnosticaram sinais de lesões cerebrais. A esposa tenta levá-lo de volta ao Espírito Santo para ser tratado próximo aos familiares. Ele tem filhos de 12 e 8 anos de idade.

    Precisamos transportá-lo para um hospital com condições de suporte neurológico , mas não temos condições de realizar o transporte particular. Estamos longe de casa, dos familiares, em um lugar que já está sofrendo pelas catástrofes<br />

    Daianny Ulhoa

    A CNN solicitou informações à Secretaria Estadual de Saúde (SES) e não obteve retorno até a publicação desta matéria.

    O profissional se formou na instituição de ensino Faculdade de Medicina de Petrópolis em 2000 e se casou com a dentista Daianny Coimbra Ulhoa em 2015. No seu cadastro mais recente no Conselho Federal de Medicina (CFM), a inscrição consta ativa para Mato Grosso e São Paulo. O médico tem pós graduação em Saúde Mental.

    Segundo caso envolvendo um médico do ES

    Também do Espírtito Santo, o médico voluntário Leandro Medice, de 41 anos, morreu no dia 13 deste mês, em um abrigo na cidade de São Leopoldo.  A polícia investiga o caso e aguarda os resultados do laudo de necropsia para eliminar suspeita de homicídio. A perícia local indica que houve morte súbita.

    Leandro Medice Passos Costa nasceu no dia 18 de agosto de 1982. Além da medicina, também era formado em fisioterapia. Inclusive, atuava nessa área antes de começar a trajetória como médico.

    Segundo João Paulo Martins, marido do médico, Leandro iniciou a faculdade de medicina logo após se formar em fisioterapia. “A paixão dele sempre foi a medicina”, diz. Em seguida, acrescenta, ele se especializou em cardiologia.

    Leandro já atuou em UTIs e integrou a equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Atualmente, trabalhava focado em transplantes capilares, inclusive tendo participado de eventos sobre esse tema como palestrante.