Mesmo com chuva no fim de semana, situação no Cantareira ainda é de alerta

Principal sistema dos mananciais que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo está com 28% de seu volume – menor índice desde o início de outubro

Represa do Rio Jaguari, que compõem o Sistema Cantareira, o principal responsável pelo abastecimento de água da capital paulista e da região metropolitana
Represa do Rio Jaguari, que compõem o Sistema Cantareira, o principal responsável pelo abastecimento de água da capital paulista e da região metropolitana Luis Moura/WPP/Estadão Conteúdo

Murillo Ferrarida CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

Apesar dos mais de 180 mm de chuva registrados pela Sabesp (companhia de Saneamento de SP) nos mananciais que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo entre domingo (24) e a manhã desta segunda-feira (25), a situação ainda é considerada de alerta.

A situação mais crítica continua sendo a do Sistema Cantareira – responsável por abastecer cerca de 9 milhões de pessoas no estado de São Paulo –, que está com 28% de seu volume, menor índice desde o início de outubro. Na outra ponta, o reservatório Rio Grande (3º maior do sistema) é o que está mais cheio, com 83,7%.

A situação atual coloca o Cantareira na Faixa 3 – Alerta da classificação definida pela Agência Nacional de Águas (ANA) e o Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo (DAEE), que determina as condições de operação.

Essa classificação divide o sistema em cinco faixas, sendo a primeira (considerada normal) quando o volume útil acumulado for igual ou superior a 60% e a última (a chamada faixa especial) quando o acumulado for inferior a 20%.

Caso feche o mês no patamar atual, o Cantareira pode regredir para a Faixa 4 – Restrição, quando o volume útil é maior do que 20% e menor do que 30%.

Em relação ao volume total dos mananciais, nesta segunda-feira (25) a Sabesp registrou 38,3% do total. No sábado (23), por exemplo, esse índice estava em 38% e nas últimas 24 horas o aumento foi de 0,2 ponto percentual.

Os dados do sistema de monitoramento da Sabesp indicam também que em apenas 2 dos 7 mananciais o total de chuvas neste mês supera a média histórica para outubro – no próprio Cantareira, com 131,1 mm ante 122,3 mm da média, e no São Lourenço, com 162 mm neste ano e 140,5 mm na média.

O conjunto de mananciais que abastecem a Região Metropolitana é formado pelos sistemas Cantareira, Alto Tietê, Guarapiranga, Cotia, Rio Grande, Rio Claro e São Lourenço.

Mais Recentes da CNN