Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Minas Gerais registra segunda morte em decorrência das chuvas

    Idoso de 71 anos morreu após ser arrastado por enxurrada em Bom Jesus do Galho, na região do Rio Doce

    Assim como no litoral paulista, cidades do interior de São Paulo também foram afetadas pelas fortes chuvas deste fim de semana
    Assim como no litoral paulista, cidades do interior de São Paulo também foram afetadas pelas fortes chuvas deste fim de semana Reza Shayestehpour/Unsplash

    Daniela MallmannLuiz Cisida CNN

    A Coordenadoria de Defesa Civil de Minas Gerais (Cedec-MG) registrou a morte de um idoso de 71 anos no sábado (26), em Bom Jesus do Galho, após ele ser arrastado por uma enxurrada decorrente das fortes chuvas que atingiram o município localizado na região do Rio Doce.

    É o segundo óbito provocado pelas chuvas em Minas Gerais desde o final de setembro, quando começou a temporada de precipitações que têm atingido o estado. A primeira morte foi notificada em Piraúba, na Zona da Mata mineira.

    Segundo o último balanço, divulgado nesta terça-feira (29) pela Defesa Civil de Minas Gerais, 39 municípios mineiros tiveram a situação de emergência reconhecida.

    O número de desabrigados, quando há danos ou ameaça de danos às residências e os moradores precisam de abrigo público, chega a 865, e há, no estado, 2.770 pessoas desalojadas – quem precisou desocupar suas casas em decorrência dos efeitos diretos do desastre, mas encontraram abrigo nas casas de parentes ou amigos.

    O coordenador estadual adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, tenente-coronel Sandro Corrêa, pediu que a população fique atenta a sinais que podem indicar riscos ocasionados pelas chuvas e o consequente encharcamento dos solos.

    “Neste momento de intensificação do período chuvoso, com chuvas previstas para praticamente todo o estado, pedimos às pessoas que tomem muito cuidado com o fenômeno do encharcamento do solo. Se a pessoa observar sinais como estofamento do piso, frestas na parede e também estofamento e projeção de massa nos barrancos, deve ficar atenta. Preste atenção ainda no mau fechamento de portas e janelas e também na inclinação de árvores e postes”, alertou Corrêa.

    Sobre as chuvas do último fim de semana nos vales do Jequitinhonha e do Aço, o tenente-coronel acrescentou que equipes da Defesa Civil já foram enviadas para as cidades mais atingidas. “Também estamos prestando ajuda humanitária e apoio aos municípios que solicitaram.”

    O Governo de Minas Gerais, por meio do Gabinete Militar do Governador (GMG) e da Cedec-MG, tem atuado em todos os municípios afetados pelas chuvas, prestando apoio humanitário e técnico para mitigar os impactos nas cidades atingidas.

    Até a semana passada, tinham sido distribuídas 1.833 cestas básicas, além de 424 colchões, 1.053 kits higiene (com sabonete, papel higiênico, creme dental, absorvente e escova de dente), 574 kits dormitórios (com fronha, lençol, travesseiro e cobertor) e outros 2.661 itens diversos, como água mineral, vestuário, alimentos, fraldas, lonas, kits limpeza e outros.

    Além de Minas Gerais, outros estados seguem em alerta. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu alertas vermelhos de risco de chuva superior a 100 milímetros (mm) por dia nas próximas 24 horas em São Paulo, no Paraná e em Santa Catarina.

    Os alertas vermelhos são de chuvas intensas, ventos costeiros e grandes alagamentos, o que pode causar transbordamentos de rios e deslizamentos de encostas.

    Segundo o Inmet, os três estados também têm alertas laranja de risco de chuva intensa e ventos costeiros com variação de 72 a 100 km/h.