Motociclistas estão envolvidos em mais da metade dos acidentes de trânsito no RJ

Acidentes com motos se tornaram ainda mais frequentes no estado durante pandemia de Covid-19, aponta o Corpo de Bombeiros

Foto: Getty Images (Capuski)

Lucas Janone, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Embora representem apenas 16,6% da frota automotiva, os motociclistas responderam por 56% dos acidentes do estado do Rio de Janeiro durante a pandemia do novo coronavírus. Os dados divulgados, nesta semana, fazem parte do Anuário 2020 do Corpo de Bombeiros.

O levantamento mostra que foram 27.681 acidentes com motociclistas no ano no Rio. O número representa uma média diária de 76 ocorrências por dia, o que caracteriza um aumento de 26% quando comparado com 2019, último ano antes da pandemia. Outros indicadores, em contrapartida, apresentaram uma queda. Entre eles explosões e problemas com escapamentos de gás (-24%), salvamentos (-18%) e incêndios (-15%).

Agentes da corporação indicam que dois fatores primordiais causaram o aumento no número de acidentes que envolveram motociclistas: a redução da circulação de veículos por conta do isolamento social e, concomitantemente, a alta demanda do serviço delivery.

O cardiologista e intensivista André Gasparoto também identificou nos hospitais a mudança de perfil das pessoas envolvidas em acidentes durante a pandemia.

“As ocorrências envolvendo motos aumentou muito mesmo durante esse último ano nos hospitais do Brasil. O número de motociclistas acidentados cresceu no mesmo volume que as pessoas passaram usar mais o serviço online. Pelo menos, a maioria dos motociclistas chegam com uma condição estável e não muito grave”, destacou.

Ainda de acordo com os números liberados está semana, a maior parte dos motociclistas não têm carteira assinada, ou seja, não possuem Auxílio-Acidente, benefício para o funcionário que apresente atestado médico. “Apesar da maioria dos acidentes serem brandos, grande parte dos acidentados com moto têm fraturas ósseas, obrigando os profissionais a ficarem pelo menos 30 dias de repouso”.

Mais Recentes da CNN