Não adianta termos o registro da vacina de Oxford sem as doses, diz pesquisador

Pesquisador da Fiocruz Julio Croda revelou que apesar da importância do registro, ainda não há doses suficientes da vacina de Oxford para o início de janeiro

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista a CNN, o pesquisador da Fiocruz e professor da Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) Julio Croda declarou que, apesar da aprovação da Anvisa dos documentos da vacina da AstraZeneca feita em parceria com a Universidade de Oxford, não há doses suficientes para a imunização contra o Covid-19 até o momento.  

Assista e leia também:

Brasil tem 7,7 milhões de casos e 195,7 mil mortes pela Covid-19

Adolfo Lutz divulga segunda-feira análise de variante do coronavírus

Alternância de vacinas não é regra, mas pode ser uma saída, diz infectologista

“A Fiocruz não tem capacidade para fornecer essa vacina até o começo de janeiro. Talvez na última semana do mês ou na primeira de fevereiro. Não adianta termos o registro se não temos o produto principal”, disse Croda.

“Todas as aprovações ao redor do mundo trazem elementos importantes para a decisão da Anvisa. Além disso, o documento encaminhado nesses países não difere muito do que será proposto no Brasil.”

Vacina da AstraZeneca e da Universidade de Oxford contra o novo coronavírus
Vacina da AstraZeneca e da Universidade de Oxford contra o novo coronavírus
Foto: Dado Ruvic/Reuters

 

 

Mais Recentes da CNN