Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    ‘Não faltaram recursos e equipamentos’, diz Bolsonaro após 100 mil mortes

    Presidente citou matéria de tabloide britânico sobre dados do sistema de saúde nacional do Reino Unido durante período de 23 de março a 1º de maio

    Lorena Lara, da CNN em São Paulo

    Em uma publicação no Facebook neste domingo (9), o presidente Jair Bolsonaro disse que “não faltaram recursos, equipamentos e medicamentos para estados e municípios” no combate à Covid-19 no Brasil.

    Ele afirmou também que “não se tem notícias, ou seriam raras, de filas em hospitais por falta de leitos UTIs ou respiradores” durante a pandemia no país.

    Leia também:

    Brasil chega à marca de 100 mil mortes por Covid-19

    EUA superam a marca de 5 milhões de casos confirmados de Covid-19

    O presidente citou dados do Reino Unido para analisar as mortes pelo novo coronavírus no país. “O Lockdown matou 2 pessoas para cada 3 de Covid no Reino Unido. No Brasil, mesmo ainda sem dados oficiais, os números não seriam muito diferentes”.

    Até o momento, o Reino Unido tem 312 mil casos confirmados do novo coronavírus, enquanto o Brasil tem mais de 2 milhões, segundo a Universidade Johns Hopkins, referência internacional no monitoramento da pandemia.

    No Reino Unido, a Covid-19 matou mais de 46 mil pessoas. No Brasil, o número ultrapassou a triste marca os 100 mil nesse sábado (8).

    Na publicação deste domingo, o presidente também disse lamentar “cada morte, seja qual for sua causa”, citando a morte de três policiais militares executados em São Paulo neste fim de semana, mas sem mencionar as 100.477 mortes causadas pela Covid-19 no Brasil.

    Veja o texto na íntegra:

    – No Reino Unido, o Departamento de Saúde estima que 16 mil pessoas morreram das mais diversas formas, por não terem acesso ao Sistema de Saúde, devido à pandemia, enquanto 25 mil morreram de Covid-19.
    – Conclui-se que o Lockdown matou 2 pessoas para cada 3 de Covid no Reino Unido. No Brasil, mesmo ainda sem dados oficiais, os números não seriam muito diferentes.
    – Lamentamos cada morte, seja qual for a sua causa, como a dos 3 bravos policiais militares executados em São Paulo.
    – Quanto à pandemia, não faltaram recursos, equipamentos e medicamentos para estados e municípios. Não se tem notícias, ou seriam raras, de filas em hospitais por falta de leitos UTIs ou respiradores.
    – Muitos gestores e profissionais de saúde fizeram de tudo pelas vidas do próximo, diferentemente daquela grande rede de TV que só espalhou o pânico na população e a discórdia entre os Poderes.
    – No mais, essa mesma rede de TV desdenhou, debochou e desestimulou o uso da Hidroxicloroquina que, mesmo não tendo ainda comprovação científica, salvou a minha vida e, como relatos, a de milhares de brasileiros.
    – A desinformação mata mais até que o próprio vírus. O tempo e a ciência nos mostrarão que o uso político da Covid por essa TV trouxe-nos mortes que poderiam ter sido evitadas.
    – De forma covarde e desrespeitosa aos 100 mil brasileiros mortos, essa TV festejou essa data no dia de ontem, como uma verdadeira final da Copa do Mundo, culpando o Presidente da República por todos os óbitos.
    – Estão com saudades daqueles governantes que sempre os colocavam como prioridade ao fazer o Orçamento da União, mesmo sugando recursos da saúde e educação.
    – DEUS, PÁTRIA e FAMÍLIA.