‘Não tem negociação com o tráfico’, diz Castro após prisão de secretário

Governador do Rio de Janeiro prometeu ainda 'pente-fino' na Secretaria de Administração Penitenciária

O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC)
O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC) Foto: André Melo Andrade/Immagini/Estadão Conteúdo

Pedro Duran, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

 

Em vídeo enviado para a CNN na tarde desta terça-feira (17/8), o governador Cláudio Castro (PL) disse que a gestão dele não negocia com bandidos. A mensagem gravada no gabinete do político é uma resposta à prisão do então secretário de Administração Penitenciária, Raphael Montenegro, na manhã desta terça.

Montenegro e outros dois funcionários exonerados da pasta horas depois da prisão são acusados de favorecer traficantes e criminosos de alta periculosidade em troca de vantagens políticas.

 
“Afirmo a vocês que ninguém negocia pelo governo do estado. Se o ex-secretário negociou com quem quer que seja ele fez em nome dele, não tem negociação com o tráfico e nem com a milícia. Isso é uma afronta aos mais de 80 mil homens e mulheres policiais civis, militares e penais que combatem o crime diariamente e muitas vezes dão a vida pra proteger a nossa população”, disse o governador do Rio de Janeiro.

Claudio Castro ainda afirma que a Polícia Civil do Rio de Janeiro negou, nas 38 vezes em que foi consultada pela Vara de Execuções Penais, a possibilidade de presídios do estado receberem detentos provenientes de prisões federais.

“Quero lembrar que foi esse governo que enfrentou recentemente uma das principais facções do tráfico no Jacarezinho e na Maré. Foi também esse governo que prendeu o ‘Echo’ e o ‘Macaquinho’ dois dos maiores líderes das mílicias em nosso estado”, afirmou Castro.

A CNN ainda não conseguiu contato com os advogados de Montenegro.

 

Mais Recentes da CNN