Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Nove pessoas foram mortas após assassinato de policial na Bahia

    Agente da PF foi morto na sexta-feira (15) durante um confronto na região de Valéria, em Salvador

    Nove pessoas morreram e uma foi presa após assassinato de agente da PF
    Nove pessoas morreram e uma foi presa após assassinato de agente da PF Divulgação/Polícia Federal (PF)

    Flávio IsmerimCarolina Figueiredoda CNN

    São Paulo

    Subiu para nove o número de mortos em confronto com as forças de segurança na Bahia após a morte do agente da Polícia Federal Lucas Caribé Monteiro, na sexta-feira (15). A informação foi confirmada à CNN pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) do estado.

    Em nota, a SSP confirma também a prisão de um traficante que já tinha mandado de prisão por homicídio. A pasta afirmou ainda que apreendeu três fuzis, uma carabina, uma submetralhadora, três pistolas, um revólver, carregadores, munições, radiocomunicadores e peças de veículo roubado.

    Entenda o caso

    Um policial federal morreu, na manhã de sexta-feira, durante um confronto na região de Valéria, em Salvador, na Bahia.

    O policial participava da Operação Fauda, conduzida pela Força Integrada de Combate ao Crime Organizado (Ficco) da Polícia Federal (PF) e da Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) contra uma organização criminosa envolvida com tráfico de drogas e armas, homicídios e roubos.

    Segundo informações da secretaria, outros dois agentes, um da PF e outro da Polícia Civil, ficaram feridos. No confronto, também morreram quatro homens suspeitos de integrar a organização criminosa.

    Lula lamentou morte de PF

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) lamentou a morte do agente da PF Lucas Caribé Monteiro, durante uma operação de combate contra uma organização criminosa em Salvador, na Bahia.

    Pelas redes sociais, Lula desejou sentimentos aos familiares e amigos do agente, e relembrou que Lucas atuou na segurança dele, enquanto ainda era candidato à Presidência, e também após assumir o cargo.

    “Recebi com profunda tristeza e indignação a morte do agente da Polícia Federal Lucas Caribé Monteiro de Almeida. Ele estava há 10 anos na PF, atuando no enfrentamento do narcotráfico e do tráfico de armas”, destacou Lula.

    “Lucas fez parte da equipe designada pela PF para a minha segurança na Bahia, durante a campanha eleitoral e também agora, na Presidência. Cumpriu sua missão com exemplar profissionalismo”, completa.

    Veja também: Justiça do Tocantins vai retomar caso de Danilo Cavalcante

    Com informações de Gabriel Ferneda e da Agência Brasil