Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Operação contra grupo que furtava minérios de ferro tem dois presos em MG

    Essa é a segunda fase da Operação Rio de Metal, realizada pela Polícia Civil de Minas Gerais

    As informações foram divulgadas pela polícia civil em coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (1º)
    As informações foram divulgadas pela polícia civil em coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (1º) PCMG/Divulgação

    Daniela Mallmannda CNN

    Dois homens, de 32 e 36 anos, foram presos na região central de Minas Gerais após cumprimento de mandados de prisão e de busca e apreensão durante a segunda fase da Operação Rio de Metal. As informações foram divulgadas pela polícia durante coletiva nesta sexta-feira (1).

    A ação realizada pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) ocorreu, na última sexta (24), nas cidades mineiras de Barão de Cocais, Mariana, Alvinópolis, Santa Bárbara e Sete Lagoas, e teve como objetivo o combate a ações ilegais de indivíduos envolvidos com o furto, roubo, receptação qualificada e sonegação de impostos referentes à subtração de minério de ferro.

    Segundo a polícia, após meses de monitoramento de campo e trocas de informações, policiais da 1ª Delegacia Especializada em Investigação e Repressão ao Furto e Roubo, pertencente ao Departamento Estadual de Investigação de Crimes Contra o Patrimônio (Depatri), apuraram que a organização criminosa efetua invasões em áreas de propriedade particular de uma empresa de mineração, para cometer furtos e, em algumas situações, roubo com uso de arma de fogo.

    Os suspeitos, organizados em células criminosas, agiam durante a madrugada, em áreas de matas como proteção natural, com presença de “olheiros”, que utilizavam rádios de comunicação e armas de fogo para contenção. Além da estrutura logística para deslocamento de máquinas e receptadores previamente acionados.

    As investigações indicaram uma complexa estrutura organizacional criminosa, contando ainda com empresas “fantasmas” para locação de máquinas pesadas (tratores), caminhões, implementos minerários, como plantas de beneficiamento, britadores, geradores de alta potência, entre outros.

    Ainda, nas apurações foi identificado que o alvo do grupo criminoso seria o minério de ferro, que, depois de subtraído, era repassado a diversos receptadores para beneficiamento e revenda a terceiras empresas, com emissão de notas fiscais fraudulentas.

    As investigações também apontaram que, além dos municípios mineiros, outras vítimas no estado de São Paulo tiveram prejuízos. Uma das empresas vítimas de furto mediante fraude teve mais de 15 veículos de grande porte subtraídos.

    Segundo o delegado Wesley Campos, os suspeitos podem responder por estelionato na montagem de empresas, apropriação indébita de veículos e maquinários, furto mediante fraude, sonegação de impostos e outros.

    Durante a operação a PCMG apreendeu, duas carretas Bi-Trem, dois conjuntos caminhão/carreta, dois tratores de grande porte modelo PA Escavadeira, um trator de grande porte modelo Escavadeira Hidráulica, além de aparelhos celulares, documentos e rádios de comunicação.

    Segundo a PCMG, as investigações continuam para identificar e capturar os demais associados na organização criminosa.

    Primeira Fase

    A 1ª fase da Operação Rio de Metal, ocorreu em junho deste ano, em Barão de Cocais, na região Central de Minas. Os policiais, com apoio de uma aeronave, sobrevoaram a região para o mapeamento das ações criminosas. Também realizaram o cumprimento de mandados de busca e apreensão. Na época, tratores, caminhões, carros, computadores, notebooks, documentos, incluído os alvarás de funcionamento foram apreendidos, além do maquinário para extração de minério.