Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Operação de combate à violência contra mulheres já determinou 20 mil medidas protetivas

    Ação coordenada pelo Ministério da Justiça começou em 27 de fevereiro e teve 41.162 vítimas atendidas

    Poucas denúncias geraram punições, sendo a maior parte delas brandas
    Poucas denúncias geraram punições, sendo a maior parte delas brandas Tatiana Maksimova/Getty Images

    Elijonas Maiada CNN Em Brasília

    A Operação Átria, coordenada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, determinou 20.540 medidas protetivas de urgência para mulheres vítimas de violência no Brasil.

    O número representa metade do total de vítimas atendidas de 27 de fevereiro a 21 de março, quando 42.864 mulheres procuraram a polícia.

    Os dados são da Secretaria Nacional de Segurança Pública e foram divulgados nesta terça-feira (21). O levantamento aponta ainda que 432 mulheres foram resgatadas de alguma situação de cárcere.

    No período, 4.255 agressores foram presos, sendo 3.598 em flagrante.

    As polícias Civil e Militar dos estados também apreenderam 235 armas de fogo, 4.657 munições e 328 facas.

    Segundo o secretário nacional de Segurança Pública, Tadeu Alencar, os dados são expressivos para três semanas. O balanço final deve ser divulgado no dia 28 março.

    “A violência tem que ser acompanhada em tempo real. Até mesmo para coibir o feminicídio”, declarou o secretário em entrevista a jornalistas.

    A operação é coordenada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) e articulada com as secretarias estaduais de segurança em alusão ao Dia Internacional da Mulher.

    “Esse é um tema central e prioritário para o presidente Lula e o conjunto do Governo tem trabalhado intensamente para formular e executar políticas públicas que enfrentam essa inaceitável violência contra as mulheres no Brasil”, afirmou o secretário Nacional de Segurança Pública, Tadeu Alencar.