Operação Sangria: Secretária de Saúde do Amazonas sai da prisão

Ação da PF teve como alvo o governador amazonense Wilson Lima (PSC) e investiga desvio de recursos do governo estadual que eram destinados à pandemia

Coronavírus: governador Wilson Lima (PSC), inaugura o hospital de campanha em Manaus
Coronavírus: governador Wilson Lima (PSC), inaugura o hospital de campanha em Manaus Foto: Divulgação/Secom-AM

Leonardo Lopes, da CNN Brasil

Ouvir notícia

A secretária de Saúde do Amazonas, Simone Papaiz, foi solta na madrugada deste domingo (5). Ela cumpriu prisão temporária no contexto da Operação Sangria, deflagrada pela Polícia Federal na última terça (30). A Operação, que teve como alvo o governador amazonense Wilson Lima (PSC), investiga desvio de recursos do governo estadual que eram destinados para o combate à pandemia de Covid-19.

A PF afirma que identificou compras superfaturadas de respiradores, direcionamento na contratação de empresas, lavagem de dinheiro e montagem de processos para enconbrir os crimes praticados. Além de 14 mandados de busca e apreensão, sete pessoas foram presas temporariamente no Amazonas – entre elas, a secretária de Saúde.

De acordo com a Secretaria de Administração Penintenciária (Seap) do Amazonas, dos sete presos, três foram colocados em liberdade, e outros quatro tiveram a prisão temporária convertida em prisão domiciliar pelo prazo de cinco dias. Segundo a Seap, além de Simone Papaiz, Perseverando da Trindade Garcia Filho e Cristiano da Silva Cordeiro foram soltos.

Já Fábio José Antunes Passos, João Paulo Marques dos Santos, Alcineide Figueiredo Pinheiro e Luciane Zuffo Vargas de Andrade foram para a prisão domiciliar no final da tarde de sábado (27).

Mais Recentes da CNN