Pantanal: início de outubro tem 772% mais queimadas do que mesmo período de 2019

Foram registrados 1282 focos de incêndio no bioma nos primeiros sete dias do mês, segundo dados dos satélites do Inpe

Incêndios batem recorde na região do Pantanal
Incêndios batem recorde na região do Pantanal Foto: Divulgação/Governo do MT

Giovanna Bronze, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Do dia 1º ao dia 7 de outubro de 2020, o Pantanal teve 1.282 focos de incêndio detectados pelos satélites do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Esse número é 772,1% maior do que o registrado no mesmo período em 2019, que teve 147 pontos de calor na primeira semana do mês.

Apenas do dia 6 para o dia 7, o Inpe registrou 326 pontos de incêndio ativos. Os dados são levantados via satélite e disponibilizados pelo próprio instituto.

Leia também:
Mais de 40 espécies de animais estão ameaçadas pelo fogo no Pantanal
Mais de 26% do Pantanal já queimou em 2020, diz estudo

Entre a média diária de focos identificados em outubro, 2020 também teve um aumento de mais de 772%. Em 2019, a média baseada nos primeiros sete dias foi de 21 pontos de calor por dia, enquanto em 2020 foi registrada a média de 183,14.

Até o dia 7 de outubro, o ano de 2020 teve 19.541 focos de queimadas no Pantanal detectados pelo Inpe. Quando comparado com o mesmo período registrado no mesmo período em 2019, que teve 6.199, o aumento é de 215,2%.

No geral, o ano de 2020 teve 94,9% mais queimadas do que no registrado ao longo do ano completo de 2019, que contabilizou 10.025 focos de incêndio.

Anteriormente, o ano com mais queimadas detectadas pelo Inpe no Pantanal foi 2005, que teve o total de 12.536. Embora 2020 nem tenha acabado, o ano já teve 55,87% mais incêndios do que o pior ano então registrado.

Dessa forma, 2020 é o pior ano para o Pantanal desde que o monitoramento do Inpe começou, em 1998.

Mais Recentes da CNN