Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Percentual de crianças no ensino fundamental fica abaixo da meta pela 1ª vez, diz IBGE

    Taxa de analfabetismo no Brasil caiu para 5,4%, mas país ainda tem 9,3 milhões de pessoas comais de 15 anos que não sabem ler nem escrever

    Percentual de crianças e adolescentes matriculados no ensino fundamental em 2023 ficou abaixo da meta de 95% em todas as regiões do país
    Percentual de crianças e adolescentes matriculados no ensino fundamental em 2023 ficou abaixo da meta de 95% em todas as regiões do país Agência Brasil

    Fábio Munhozda CNN

    Em São Paulo

    Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta sexta-feira (22) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que, pela primeira vez desde 2016, o Brasil não atingiu a meta de 95% de pessoas entre 6 e 14 anos matriculadas no ensino fundamental.

    De acordo com a pesquisa, o percentual de crianças e adolescentes no ensino fundamental ficou em 94,6%. No ano anterior, o índice era de 95,2%. Segundo o documento a queda foi decorrente, principalmente, dos primeiros anos do ensino fundamental –fase destinada a estudantes entre 6 e 10 anos.

    Em 2016, início da série histórica, o percentual era de 96,7%. A taxa aumentou até 2018, quando chegou a 97,4%. Desde então, iniciou trajetória de queda.

    Ano
    Percentual de pessoas no ensino fundamental
    201696,7
    201797,1
    201897,4
    201997,1
    202295,2
    202394,6

    O percentual de crianças e adolescentes matriculados no ensino fundamental em 2023 ficou abaixo da meta de 95% em todas as regiões do país. No Norte, a taxa ficou em 94,8%. No Nordeste, em 94,5%. Já o Sudeste alcançou índice de 94,9%. No Sul e no Centro-Oeste, o percentual foi de 94,2%.

    A CNN procurou o Ministério da Educação para comentar os dados, mas ainda não obteve retorno.

    Taxa de analfabetismo

    Os dados da Pnad Contínua revelam que a taxa de analfabetismo geral no país entre pessoas acima de 15 anos caiu de 2022 para 2023, chegando a 5,4%. Foi o menor nível desde o início da série histórica. A meta para 2015 era de 6,5%.

    Em números absolutos, cerca de 9,3 milhões de pessoas acima dos 15 anos não sabem ler nem escrever.

    Na análise por região, o Nordeste mantém a maior taxa de analfabetismo entre pessoas com mais de 15 anos, com 11,2%. Em seguida estão Norte (6,4%), Centro-Oeste (3,7%), Sudeste (2,9%) e Sul (2,8%).

    Taxa de analfabetismo por região (em %)

    2016201920222023
    Norte7,97,06,46,4
    Nordeste13,912,911,711,2
    Sudeste3,53,02,92,9
    Sul3,33,03,02,8
    Centro-Oeste5,24,44,03,7
    Brasil6,76,15,65,4

    Considerando somente a população com mais de 60 anos, a taxa de analfabetismo no país é de 15,4%. Assim como ocorre entre a população com mais de 15 anos, o Nordeste lidera o ranking, com 31,4%. Na sequência estão Norte (22%), Centro-Oeste (13,6%), Sul (8,8%) e Sudeste (8,5%).

    Ensino básico

    Ainda segundo os dados da Pnad, 54,5% da população brasileira com 25 anos ou mais tinha em 2023 pelo menos o ensino médio completo. Desde o início da série histórica, em 2016, houve crescimento de 8,3 pontos percentuais.

    Os dados de escolaridade reforçam a desigualdade racial no país. No ano passado, 61,8% dos brancos tinham pelo menos o ensino médio completo. Entre pretos e pardos, o percentual cai para 48,3%.

    Norte51,0
    Nordeste45,6
    Centro-Oeste58,0
    Sudeste59,9
    Sul53,1
    Brasil54,5