Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Petrópolis tem pelo menos 50 animais resgatados em meio à tragédia

    Em parceria com o governo estadual, ONGs e voluntários também já arrecadaram mais de uma tonelada de ração

    Animais são resgatados após fortes chuvas na Região Serrana do Rio de Janeiro
    Animais são resgatados após fortes chuvas na Região Serrana do Rio de Janeiro RJPET, subsecretaria da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento

    Rayane Rochada CNN*

    no Rio de Janeiro

    Em meio à lama e aos escombros que assolam Petrópolis, na Serra do Rio de Janeiro, ao menos 50 animais foram resgatados na região depois da forte chuva desta terça-feira (15).

    Por meio de uma parceria entre a Secretaria Estadual de Agricultura e voluntários do Grupo de Resgate de Animais em Desastres (GRAD), cachorros, gatos, coelhos, passarinhos e até galinhas perdidos pela cidade estão sendo levados por resgatistas a clínicas e hospitais veterinários.

    As equipes trabalham junto a organizações não governamentais, que têm se encarregado de direcionar os animais para lares temporários.

    A ideia é que, nos próximos dias, quando o município estiver em um panorama menos crítico, eles sejam colocados para a adoção.

    Voluntários e organizações cuidarão de animais resgatados até a adoção / RJPET, subsecretaria da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento

    Em dois dias, com a ajuda da ONG Rio Eco Pets, o grupo já arrecadou uma tonelada e meia de ração. A expectativa é de que mais mantimentos cheguem até sábado (19).

    O secretário de Estado de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento, Marcelo Queiroz, destaca a importância não só dos abrigos, mas também de água potável e comida para esses animais.

    “Todo lar temporário é bem-vindo neste momento. E nós, como Estado, vamos oferecer toda logística para qualquer ONG que queira arrecadar ração e trazer aqui para Petrópolis”, alega.

    Nesta quinta-feira (17), a Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio-RJ) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) disponibilizaram para a secretaria um ônibus adaptado para auxiliar no banho e tosa dos bichos. O “Modo Pet Móvel”, como é conhecido o veículo, permite que os cuidados sejam feitos em diferentes localidades.

    “É muito importante mais essa parceria, porque os animais resgatados estão muito sujos, e isso vai agilizar o processo e ajudar no resgate de mais animais”, afirma Queiroz, responsável pelas políticas Públicas de Proteção e Bem-estar Animal do Rio.

    O governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, reforça a necessidade de atitudes voltadas para a causa animal em meio à tragédia. “Os animais merecem toda atenção e carinho da nossa parte neste momento. Estão assustados e longe de quem mais confiam. As equipes acolhem, cuidam e alimentam”, afirma.

    A médica veterinária e membro fundadora do GRAD, Carla Sássi, chama a atenção para o momento delicado vivido pela cidade. “A situação realmente é um cenário de guerra, bem semelhante a que encontramos em 2011”, compara.

    “A demanda é muito grande. Há muitos animais em áreas de risco, que já foram evacuadas, e muitos em residências que estão completamente condenadas”, alerta.

    Sássi, que também é bombeira civil, relata como tem se dado a atuação do grupo nos pontos mais acometidos pela chuva. “Nosso trabalho é resgatar esses animais atingidos e, principalmente, dar assistência às famílias, para que eles não sejam mais uma preocupação nesse momento tão difícil”, explica.