Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    PF destrói 255 hectares de plantações de maconha na fronteira com Paraguai

    Também foram apreendidos outros 55.630 quilos do entorpecente pronto para o consumo, totalizando o equivalente a 820.630 kg da droga retirados de circulação

    Além da PF e da Senad, a operação conta com o apoio do Ministério Público, da Força-Tarefa Conjunta (FTC) e da Força Aérea do Paraguai
    Além da PF e da Senad, a operação conta com o apoio do Ministério Público, da Força-Tarefa Conjunta (FTC) e da Força Aérea do Paraguai Polícia Federal

    Estadão Conteúdo Renata Okumura, do Estadão Conteúdo

    A Polícia Federal (PF), com o apoio da Secretaria Nacional Antidrogas do Paraguai (Senad), destruiu ao menos 255 hectares de plantações de maconha na sexta-feira (7), na fronteira entre Brasil e Paraguai.

    Na última semana, foi concluída a 44ª fase da Operação Nova Aliança, sendo a terceira realizada neste ano. A ação foi desenvolvida por meio da cooperação policial internacional entre as duas nações.

    Nesta etapa, também foram apreendidos outros 55.630 quilos do entorpecente pronto para o consumo, totalizando o equivalente a 820.630 kg da droga retirados de circulação. Também foram destruídos 121 acampamentos que serviam de base para os traficantes, de acordo com a PF.

    Cooperação contra o tráfico

    Além da PF e da Senad, a operação conta com o apoio do Ministério Público, da Força-Tarefa Conjunta (FTC) e da Força Aérea do Paraguai.

    “A PF auxilia no custeio da iniciativa e nos trabalhos de inteligência, além de fornecer apoio com aeronaves para deslocamento de pessoal às áreas de mais difícil acesso, locais em que o entorpecente é cultivado”, diz a instituição federal.

    Conforme a PF, o foco dos trabalhos é combater o narcotráfico na origem das atividades ilícitas.

    “Também minimizar os custos que seriam aplicados posteriormente em persecuções criminais antidrogas caso o entorpecente erradicado entrasse em circulação”, afirma.

    Segundo a Senad, a operação foi criada a partir de acordo de cooperação entre a secretaria paraguaia e a Polícia Federal brasileira, com o entendimento de responsabilidade compartilhada no combate ao crime organizado.