PF investiga superfaturamento de testes para Covid-19 no Piauí

Polícia cumpre 17 mandados de busca e apreensão nos municípios piauienses de Picos, Bom Jesus e Uruçuí

Policiais cumprem mandado de busca e apreensão no Piauí
Policiais cumprem mandado de busca e apreensão no Piauí Foto: Divulgação/PF

Vianey Bentes

Da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

A Operação  Reagente, da Polícia Federal, com o Tribunal de Contas do Estado e o Departamento Nacional de Auditoria do SUS (Denasus), nesta quinta feira,(2), cumpre 17 mandados de busca e apreensão nos municípios piauienses de Picos, Bom Jesus e Uruçuí, para investigar suspeitas de irregularidades na compra de testes para Covid-19.

As investigações apontam que agentes públicos e empresários teriam utilizado documentos falsos na dispensa de licitação, instaurado pela Prefeitura de Picos, para compra de testes de covid-19. Com isso, os contratos foram dirigidos para a empresa do grupo, que seria responsável pela venda de exames superfaturados.

Leia também:
MP apura corrupção na compra de testes de baixa qualidade para a Covid-19
‘Tem que provar’, afirma Ibaneis sobre suspeita de má qualidade de testes
Empresa investigada por fraude no DF tem contrato com o governo do Rio

As fraudes em Bom Jesus e Uruçuí teriam seguido o mesmo modo do ocorrido em Picos. Há suspeitas de que o esquema criminoso já estaria atuando em 28 municípios do interior do Piauí.

Foram mobilizados para esse trabalho 70 policiais federais, 7 auditores fiscais, e mais  técnicos do TCE e do Denasus. As ordens judiciais foram expedidas pela Subseção Judiciária Federal em Picos. O nome da operação faz referência ao superfaturamento na aquisição de testes rápidos IGG e IGM, para detecção de COVID-19.

Mais Recentes da CNN