Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    PGR pede informações à PF e afirma que tomará medidas cabíveis a respeito de agressões sofridas por Moraes e seu filho

    Assessoria de Augusto Aras informou que o procurador-geral enviou mensagem ao ministro expressando solidariedade

    “Aras considera repulsiva essa agressão, que se agrava ao atingir a família do ministro”, diz a nota
    “Aras considera repulsiva essa agressão, que se agrava ao atingir a família do ministro”, diz a nota Nelson Jr./SCO/STF

    Teo Curyda CNN Brasília

    A Procuradoria-Geral da República (PGR) solicitou informações à Polícia Federal sobre as agressões sofridas na Itália pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, e seu filho. A PGR informou, por meio de nota, que tomará as medidas cabíveis a respeito do caso.

    A assessoria de Augusto Aras informou que o procurador-geral enviou mensagem ao ministro expressando solidariedade. “Aras considera repulsiva essa agressão, que se agrava ao atingir a família do ministro”, diz a nota.

    Uma mulher hostilizou Moraes, chamando-o de “bandido, comunista e comprado”. Outro deu coro aos insultos e, logo depois, chegou a agredir fisicamente o filho do ministro, segundo a PF. Um terceiro homem juntou-se aos dois agressores, proferindo palavras ofensivas.

    Os três foram identificados pela PF no Aeroporto de Guarulhos, mas não foram detidos. Eles serão investigados em inquérito por crimes contra honra e ameaça.