Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Piloto morre em segundo acidente aéreo, um ano após sobreviver a queda de um avião

    Otávio Augusto Munhoz da Silva, de 38 anos, havia ficado 13 dias desaparecido na Amazônia em queda no ano passado; agora, acidente ocorreu em Roraima

    Da CNN*

    São Paulo

    O piloto Otávio Augusto Munhoz da Silva, de 38 anos, morreu em um segundo acidente aéreo, um ano após ter ficado 13 dias desaparecido na Floresta Amazônica, também devido a uma queda de avião.

    Desta vez, o acidente ocorreu em uma região de mata em Samaúma, município de Mucajaí, na divisa com Alto Alegre, em Roraima. Silva era considerado desaparecido.

    A irmã do piloto havia registrado um boletim de ocorrência no dia 1º de setembro, comunicando que ele havia sofrido um acidente aéreo no último dia 28 de agosto.

    A morte de Silva foi confirmada pela Polícia Civil de Roraima. O corpo foi removido ao Instituto de Medicina Legal (IML) e liberado no sábado (2) aos familiares para o translado a Londrina, no Paraná, onde seria sepultado.

    Em nota, a Polícia Civil de Roraima informou que a investigação sobre o acidente é atribuição do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea) da Força Aérea.

    A CNN entrou em contato com o Decea, mas não teve retorno até o momento.

    Primeiro acidente

    Em 27 de setembro de 2022, Silva pilotava um avião privado que caiu em uma mata fechada. A aeronave foi encontrado dois dias depois pela Força Aérea Brasileira (FAB).

    Silva só foi encontrado 13 dias após a queda. Na época, o piloto contou que passou momentos muito difíceis na mata.

    Ele relatou que o avião que pilotava superaqueceu e o motor parou de funcionar. Tentou aterrissar perto de um rio, mas acabou ficando preso na copa de uma árvore.

    Disse que quando estava quase sem força, acabou encontrando um rio, por onde seguiu o curso. Foi quando passou uma embarcação e o resgatou.

    *Publicado por Diego Mendes 

    Veja também: Mudanças climáticas causam incêndios florestais