Polícia Civil adia conclusão do inquérito sobre assassinato de Henry Borel

Nova data para finalização do inquérito foi estipulada para segunda ou terça-feira (26 e 27 de abril)

Cleber Rodrigues

Da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A Polícia Civil adiou a conclusão do inquérito do caso do assassinato de Henry Borel, de 4 anos. A mãe, Monique Medeiros, e seu companheiro, o vereador Dr. Jairinho, são suspeitos de participarem da morte da criança. Ambos estão sendo investigados por homicídio duplamente qualificado.

A expectativa era fechar o caso na última sexta-feira (23), mas a análise de fotos e documentos ainda está em curso. A nova data foi estipulada para segunda ou terça-feira (26 e 27 de abril). Segundo especificou a polícia fluminense, algumas provas e documentos, imagens e fotos dos celulares apreendidos ainda estão em análise. 

A polícia busca finalizar com antecedência a conclusão do caso para que o Ministério Público e a Justiça possam avaliar todo o processo. A prisão temporária do casal acusado e investigado se encerra em 7 de maio. 

A defesa de Monique Medeiros trabalha para que a Justiça ouça a mãe de Henry novamente. Em um primeiro testemunho, ela disse não ter nenhum problema com o namorado e que mantinham uma boa relação. No entanto, sua defesa afirmou que agora a versão é outra, uma vez que ela já teria sido, sim, vítima de agressão. 

O Ministério Público foi acionado pela defesa da mãe de Henry, mas considera pouco provável que ela seja chamada para prestar novo depoimento. O MP informou que esta é uma decisão que cabe ao delegado Henrique Damasceno, que está cuidando do caso.

A defeda de Dr. Jairinho afirma que pretende contestar as provas técinicas, incluindo a reprodução simulada feita pelo Instituto Médico Legal. 

Mais Recentes da CNN