Polícia Civil quer saber de onde partiu a bala que matou jovem grávida no Rio

Polícia Militar também apura as circunstâncias do tiroteio que causou a morte da modelo e designer de interiores em comunidade carioca

Isabelle Saleme e Thayana Araújo, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A Delegacia de Homicídios da Capital investiga a morte da jovem grávida baleada em Lins de Vasconcelos, na zona norte do Rio de Janeiro, nesta terça-feira (8). Testemunhas serão ouvidas, com o objetivo de identificar de onde partiu o tiro que atingiu Kathlen Romeu, de 24 anos.

Segundo a Secretaria de Estado de Polícia Militar, o confronto começou quando policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) que atuam na comunidade foram atacados a tiros por criminosos.

Ainda de acordo com a PM, quando o tiroteio acabou, os militares encontraram a mulher com um ferimento provocado por bala. Ela foi levada para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, também na zona norte, mas morreu logo que chegou na unidade. O bebê também não resistiu. 

Em paralelo às investigações da Polícia Civil, a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) vai instaurar um procedimento para averiguar as circunstâncias da morte.

A modelo e designer de interiores estava grávida de 14 semanas. Ela havia anunciado a gestação nas redes sociais há uma semana. Horas antes do tiroteio, Kathlen fez a última postagem. Exibindo a pequena barriga, ela escreveu “bom dia, neném”.

Após o tiroteio, moradores da comunidade protestaram contra a morte da jovem e atearam fogo em objetos. A Grajaú-Jacarepaguá, uma das principais vias que conecta as zonas norte e oeste da capital, foi interditada. 

Repercussão 

A morte da jovem provocou comoção nas redes sociais. A ONG Rio de Paz, que atua combatendo a violência na cidade, emitiu uma nota oficial em que lamenta “uma vida foi interrompida na flor da idade e outra não teve nem o direito de nascer”.

Segundo o texto, “o destino trágico da jovem negra brasileira moradora de comunidade pobre Kathlen de Oliveira Romeu, de apenas 24 anos, grávida de 14 semanas, soma-se ao de tantos outros cidadãos cariocas mortos em circunstâncias semelhantes”.

O pai da criança fez uma homenagem a Kathlen, também pelas redes sociais, a quem classificou como a pessoa mais radiante e animada que conheceu na vida.

O designer gráfico e tatuador Marcelo Ramos escreveu: “nunca será esquecida meu amor. Você, a Maya/Zanyon sempre irão morar dentro de mim. Estou completamente sem chão”. Ele terminou a publicação dizendo “eu te amo eternamente.”

Mais Recentes da CNN