Polícia Federal realiza operação para desestruturar ‘cargos’ de facção criminosa

Criminosos atuariam dentro e fora do sistema prisional 'em todo o Brasil', diz PF

Torre da Polícia Federal
Torre da Polícia Federal Foto: OSÉ CARLOS DAVES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Giovanna Galvanida CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

A Polícia Federal cumpre, nesta terça-feira (31), 24 mandados de prisão preventiva e 21 de busca e apreensão em uma operação que busca desarticular a estrutura de “reposição” de membros de uma organização criminosa.

Nomeada de “Presente de Grego”, os mandados estão sendo cumpridos nos municípios de Boa Vista, Mucajaí e Iracema, em Roraima, e em Humaitá, interior do Amazonas. As forças contam com o apoio das polícias civil e militar de Roraima.

Segundo a PF, os criminosos atuam dentro e fora do sistema prisional em todo o Brasil, mas vêm apresentando “dificuldades” em repor cargos da operação para reestruturar a facção.

No entanto, em dois meses, teriam sido identificadas as novas lideranças no estado, “inclusive constatando o retorno de alguns condenados por participação em organização criminosa à “linha de frente” de atuação do grupo”, acrescenta a PF.

A corporação não divulgou o nome da facção em questão.

Os crimes imputados aos investigados são participação em organização criminosa e tráfico de drogas, além de outros agravantes. As penas somadas podem ultrapassar os 25 anos de prisão.

Mais Recentes da CNN