Polícia investiga mulher por levar homem morto ao banco para fazer prova de vida

Golpe foi descoberto depois que a mulher tentou atendimento prioritário em agência para sacar aposentadoria

Agência do Banco do Brasil em Campinas onde mulher levou homem morto ao banco para fazer prova de vida
Agência do Banco do Brasil em Campinas onde mulher levou homem morto ao banco para fazer prova de vida Foto: Reprodução/Google StreetView

Ouvir notícia

Uma mulher é investigada por levar um idoso morto, em uma agencia bancária, para fazer prova de vida e tentar sacar o saldo da aposentaria. O golpe foi descoberto depois que a mulher tentou atendimento prioritário.

O escrivão da polícia aposentado, de 92 anos, foi colocado em uma cadeira de rodas e levado por uma mulher até uma unidade da agência do Banco do Brasil, em Campinas, interior de São Paulo, no dia 2 de outubro.

De acordo com o boletim de ocorrência, a mulher informou ter união estável com o idoso, há 10 anos, e que movimenta a conta dele, mas havia perdido a senha de letras e, portanto, precisava fazer a prova de vida do homem.

Leia e assista também

Governo suspende exigência de prova de vida do INSS até 31 de outubro

Na agência, a mulher tentou atendimento prioritário, alegando que seu companheiro estava passando mal. No entanto, funcionários do banco acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). As equipes de resgaste constataram sinais de que o homem estava morto há mais tempo.

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) de São Paulo informou, nesta quinta-feira (15), que a ocorrência ainda é investigada.

Segundo a polícia, a mulher não tinha procuração para movimentar as contas do idoso. O caso foi registrado no 1º Distrito Policial de Campinas, mas será investigado pelo 8°DP de Sorocaba que apura as causas da morte e eventual crime de estelionato.

O Banco do Brasil não respondeu até a publicação desta reportagem.

Mais Recentes da CNN