Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Polícia prende suspeito de assassinar agente penal no Rio Grande do Norte

    Último balanço indica 135 detidos desde o início dos ataques; ministro da Justiça está no estado para acompanhar trabalho da Força Nacional de Segurança

    Com o suspeito, os policiais também apreenderam uma pistola, munição, e apetrechos como luvas, além de uma balança de precisão
    Com o suspeito, os policiais também apreenderam uma pistola, munição, e apetrechos como luvas, além de uma balança de precisão Divulgação/Polícia Civil do Rio Grande do Norte

    Isabelle SalemeJúlia Carvalhoda CNN

    São Paulo

    Wedson Bruno Costa, conhecido como Redbull foi preso no município de São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal, na manhã desta segunda-feira (20). Ele é suspeito da morte do policial penal Carlos Eduardo Nazário, de 53 anos, na última sexta (17).

    Segundo a polícia, a vítima estava de folga quando dois homens em uma moto dispararam várias vezes. Nazário foi atingido por pelo menos cinco tiros. Ele chegou a ser socorrido para um hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

    Policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) também apreenderam com o suspeito uma pistola, munição, além de uma balança de precisão e outros objetos.

    Desde que começou a escalada de ataques em diversas cidades do Rio Grande do Norte, na última terça-feira (14), a Secretaria de Segurança Pública informou que 135 suspeitos foram presos.

    Desses, três eram adolescentes, que foram apreendidos, e 14 foragidos da Justiça recapturados.

    Além disso, 38 armas de fogo e 106 artefatos explosivos foram apreendidos, junto com dinheiro, munição, carros e drogas.

    Pelo menos dez presos considerados perigosos foram transferidos para penitenciárias federais, de segurança máxima.

    O clima de incerteza fez com que a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil recomendasse aos funcionários e cidadãos norte-americanos que evitassem visitar o Rio Grande do Norte.

    Ação do governo federal

    O ministro da Justiça, Flávio Dino, está no estado para ajudar no combate aos ataques criminosos.

    Nesta segunda, ele se encontra com governadora, Fátima Bezerra, e com outras autoridades. Também está marcada uma reunião com integrantes do Gabinete de Gestão Integrada da Segurança Pública e da Defesa Social.

    Dino chegou na noite de domingo (19) e declarou total apoio do governo federal para conter a crise de segurança. O ministro anunciou o envio imediato de verbas já disponibilizadas pela pasta para o incremento da estrutura de Segurança Pública do estado.

    No entanto, segundo ele, o pedido da Garantia da Lei e da Ordem (GLO), com eventual atuação das Forças Armadas, só ocorrerá em caso de colapso total das forças de segurança estaduais e federais – o que, por enquanto, não acontece.

    No domingo, a Secretaria de Segurança Pública contou sete ações criminosas, uma redução de 93% nas ocorrências relacionadas aos atos na comparação com a última terça-feira (14), quando os ataques começaram.

    A diminuição ocorreu depois do reforço de quase 500 homens da Força Nacional e de outros estados.

    O ministro destacou a redução nos números de casos. Segundo ele, não há limite para o apoio do governo federal ao estado, até que a situação esteja completamente controlada.