Polícia prende três homens pela morte de Moïse Kabagambe no Rio de Janeiro

Congolês de 24 anos foi agredido até morrer após ir cobrar o pagamento de seu salário em um quiosque, na praia da Barra da Tijuca

Jaqueline Frizonda CNN

no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

A Polícia Civil do Rio de Janeiro prendeu, nesta terça-feira (1º), três homens suspeitos pelo assassinato de do congolês Moïse Kabamgabe, de 24 anos.

Oito pessoas foram ouvidas pela Delegacia de Homicídios da capital fluminense. Um dos envolvidos confessou o assassinato. O segundo estava escondido e o terceiro não teve informações divulgadas.

Moïse foi agredido com uma barra de madeira em um quiosque na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio. O objeto foi localizado e apreendido próximo ao local onde o corpo foi encontrado. Um vídeo de câmeras de segurança do quiosque mostra o momento da agressão.

A CNN teve acesso a todas as imagens do circuito interno do quiosque e decidiu exibir os trechos que mostram a emboscada a Moïse. As agressões não serão exibidas.

Segundo familiares, o jovem trabalhou por dois dias no local e foi cobrar seu pagamento.

Foram vários minutos de violência, até mesmo quando o congolês estava desacordado. Os agressores tiveram a prisão temporária (com prazo estabelecido) pedida hoje à Justiça e devem responder por homicídio duplamente qualificado.

A CNN teve acesso a todas as imagens do circuito interno do quiosque e decidiu exibir os trechos que mostram a emboscada a Moïse. As agressões não serão exibidas.

Advogados de defesa do proprietário do quiosque estiveram na 16° Delegacia Policial da Barra. Segundo a defesa e a polícia, o dono não estava no local no momento do crime. Apenas um funcionário fazia o trabalho noturno.

Os defensores disseram, ainda, que os agressores não trabalham no quiosque e não fazem a segurança do local e que não existe história de cobrança de dívida, já que o congolês não teria prestado serviços nas últimas semanas. A polícia informou que o proprietário está colaborando com as investigações.

A morte de Moïse Kabagambe gerou grande repercussão nas redes sociais. O Governador do Rio Cláudio Castro (PL) disse: “o assassinato do congolês Moïse Kabagambe não ficará impune. A Polícia Civil do Rio de Janeiro está identificando os autores desta barbárie. Vamos prender esses criminosos e dar uma resposta à família e à sociedade. A Secretaria de Assistência à Vítima vai procurar os parentes para dar o apoio necessário.”

O prefeito do Rio Eduardo Paes (PSD) também se manifestou nas redes: “o assassinato de Moïse Kabagambe é inaceitável e revoltante. Tenho a certeza de que as autoridades policiais atuarão com a prioridade e rigor necessários para nos trazer os devidos esclarecimentos e punir os responsáveis. A prefeitura acompanha o caso. Paes se reuniu com a mãe e dois irmãos da vítima no gabinete da prefeitura.”

 

Mais Recentes da CNN