Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Policiais investigados por abuso de autoridade e peculato são presos no Rio

    Justiça suspendeu porte de arma dos agentes, que também foram afastados das funções públicas

    Fachada da Secretaria de Estado da Polícia Civil, no centro do Rio de Janeiro RJ
    Fachada da Secretaria de Estado da Polícia Civil, no centro do Rio de Janeiro RJ Tomaz Silva/Agência Brasil

    Isabelle Salemeda CNN

    Dois policiais civis lotados na Delegacia da Taquara (32ª DP) foram presos, na manhã desta quinta-feira (29), depois de investigação da Corregedoria da Polícia Civil e representação da prisão à Justiça, por suspeita de associação criminosa armada, abuso de autoridade e furto por concurso de pessoas e peculato. A Justiça também suspendeu o porte de arma dos agentes e os afastou das funções públicas.

    Segundo denúncia da vítima à Corregedoria, em janeiro deste ano, os policiais Mark Rodrigues Estebanez Stael e Mauro Tadeu Pereira Ribeiro foram até o bairro Vaz Lobo, na zona norte do Rio, apurar informações sobre um suposto caso de venda de remédios para abortos. O suspeito não foi localizado.

    Os agentes, então, teriam ido à casa do denunciante, no interior de uma comunidade, de onde levaram R$ 9 mil, que seriam das economias do homem, uma aliança de ouro, uma pistola legalizada e documentos, como o certificado de registro de arma e a carteira de habilitação da vítima. Os materiais nunca foram levados de maneira formal à apreensão.

    Os policiais teriam ingressaram livremente na comunidade, ou seja, sem entrar em confronto com traficantes locais, o que chamou a atenção da Promotoria de Justiça.

    A Polícia Civil informou à CNN que, em menos de um mês após a denúncia, identificou e solicitou medidas cautelares contra os autores. Os agentes foram presos e encaminhados à Corregedoria.