Prefeito de Manaus pede ajuda à ativista Greta Thunberg

Arthur Virgílio Neto postou pedido de ajuda via Twitter

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, pede, via Twitter, ajuda da ativista climática Greta Thunberg, em 02 de maio de 2020.
O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, pede, via Twitter, ajuda da ativista climática Greta Thunberg, em 02 de maio de 2020. Foto: Reprodução/Twitter

Ouvir notícia

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto (PSDB), pediu hoje (2) ajuda da ativista Greta Thunberg via publicação no Twitter. “Por tudo o que o estado do Amazonas faz pelo mundo em relação ao meio ambiente, humildemente solicito à ativista ambiental @GretaThunberg toda a sua influência, a fim de ajudar a combater o coronavírus”, escreveu.

A publicação também é seguida de um vídeo em que o prefeito ressalta o pedido. “Nós precisamos salvar as vidas dos protetores da floresta Amazônica contra a COVID-19. Estamos diante do desastre”, diz Arthur em inglês, seguido de legendas em português. 
 
A situação em Manaus é grave, tanto no sistema de saúde quanto funerário estão em colapso durante a pandemia do novo coronavírus. Em entrevista exclusiva à CNN nesta sexta-feira (1º), Arthur Virgílio Neto (PSDB), afirmou que a situação do estado é “tétrica” e que está “abandonado e jogado a própria sorte”. “Eu diria que Manaus virou a Itália”, afirmou.

O Ministério da Saúde divulgou na tarde de ontem o último balanço oficial dos casos do novo coronavírus (COVID-19) no Brasil. Segundo a pasta, há 91.589 diagnósticos confirmados e 6.329 mortes em todo o país. Já no Amazonas, são 5723 infectados e 476 mortos pela COVID-19. 

Leia, ouça e assista também:

Após apelo de prefeito, Ministério da Saúde diz que tem ajudado Manaus

Os corpos em contêineres e enterros em valas comuns de Manaus

Imagens de Manaus devem ser exemplo para não reabrir comércio, diz sanitarista

A ativista climática sueca Greta Thunberg disse em um evento do Dia da Terra (22) que as ações sincronizadas para enfrentar o surto de coronavírus não significam que a crise climática desapareceu. “Isto serve para todas as crises, seja a crise do corona ou a crise climática que ainda continua e não está desacelerando, mesmo em um momento como este”, afirmou a ativista.
 
Na última quinta feira, com apenas 15 anos, ela doou US$ 100 mil à Unicef para combate o novo coronavírus (COVID-19). As quantias foram oferecidas pela fundação da ativista sueca Greta Thunberg e a ONG dinamarquesa Human Act, totalizando US$ 200.000.

Mais Recentes da CNN