Prefeitura do Rio de Janeiro adia decisão sobre desfiles na Sapucaí

Assunto será abordado na próxima reunião do Comitê Científico, prevista para 24 de janeiro

Stéfano Sallesda CNN

No Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O Comitê Científico de Enfrentamento à Covid-19, que assessora a Prefeitura do Rio de Janeiro no combate à pandemia, adiou qualquer decisão sobre os desfiles de carnaval da Marquês de Sapucaí.

O órgão se reuniu nesta quarta-feira (12), e seus integrantes preferiram aguardar um cenário epidemiológico mais claro para tomar qualquer decisão.

Até o momento, os desfiles do Grupo Especial e da Série Ouro, no fim de fevereiro, estão confirmados. O órgão volta a se reunir no próximo dia 24, para quando é esperada uma recomendação oficial ao município, uma vez que o colegiado é consultivo e, portanto, embora seja formado por técnicos, não tem poder decisório.

Os especialistas defenderam ainda a retomada do uso de máscaras de proteção facial em locais abertos, principalmente em locais onde haja aglomeração. O uso do acessório era obrigatório até o dia 26 de outubro, quando 65% da população carioca atingiu o que era, naquele momento, esquema vacinal completo: duas doses.

Professor da UFRJ, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) e integrante do colegiado, Alberto Chebabo explica que a medida tem a ver com a expansão da variante Ômicron, linhagem considerada de preocupação pela Organização Mundial da Saúde. Ela já responde por 98,2% dos casos no Rio de Janeiro, segundo a Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

“Estamos recomendando que esse equipamento de proteção individual volte a ser usado no dia a dia pelos cariocas. É uma recomendação de cuidado, para proteção. Estamos esperando que essa onda será bem forte e intensa, explosiva. E, por isso, mas mais curta. Não deve durar tanto quanto a da Delta”, afirma.

O comitê recomendou ainda a manutenção do plano de volta às aulas da rede municipal, previsto para ocorrer no dia sete de fevereiro (segunda-feira), e reforçou a urgência de iniciar a vacinação do público de cinco a 11 anos.

“Iniciar a vacinação das crianças avocando a confiança que seus pais e responsáveis têm no Programa de Vacinação Brasileiro deixando evidente que, ao longo de décadas, a mortalidade infantil vem sendo clara e positivamente impactada pela vacinação.

O CEEC recomenda – fortemente – que a SMS/RJ articule órgãos colegiados, como por exemplo Conasems e Conass, e sociedades médicas de saúde pública no sentido de envidar esforços junto ao Ministério da Saúde para a aquisição e distribuição da maior quantidade de vacinas para as crianças brasileiras”, diz um trecho da ata divulgada.

De acordo com a SMS, a campanha começará na segunda-feira (17), para meninas de 11 anos. Será aplicado o imunizante da Pfizer, o único autorizado para esse público pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

O documento aponta ainda que, dos pacientes internados, a incidência de óbitos é 30 vezes maior entre os não vacinados. “Neste sentido, é imperativo que a prioridade da SMS seja vacinar, buscando a melhor cobertura possível, com dose um, dose dois e, sobretudo, dose de reforço”, conclui.

Também foi recomendado que os pacientes com diagnóstico de Covid-19 e com sintomas aguardem o intervalo de 30 dias para completar o esquema vacinal, ou para o início dele, caso não tenha recebido nenhuma dose até o momento.

A recomendação ocorre em um momento no qual a taxa de positividade de testes de Covid-19, realizados no município, é de 50%, de acordo com a plataforma de monitoramento on-line da SMS, pelo Painel Rio Covid-19.

Carnaval segue indefinido

Presidente da Liga Independente das Escolas de Samba (Liesa), responsável pela organização desfiles das 12 agremiações do Grupo Especial, Jorge Perlingeiro entendeu como adequada a decisão do Comitê Científico.

“Parece melhor esperar chegar mais próximo, ter um cenário epidemiológico mais claro, para decidir o que fazer. O que eu posso dizer é que a liga está se organizando para cumprir todos os critérios sanitários que forem definidos, para a realização do carnaval”, afirmou.

A atual campeã do carnaval do Rio de Janeiro é a Unidos do Viradouro, de Niterói. O Grupo Especial se apresentará no domingo (27) e na segunda-feira (28) de fevereiro.

Mais Recentes da CNN