Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Previsão de cheia do Rio Amazonas em 2024 Indica normalidade, segundo Serviço Geológico do Brasil

    Cenário é resultado da seca que afetou a região em 2023 e das chuvas abaixo da média, que têm dificultado a recuperação dos rios

    Região da Amazônia
    Região da Amazônia Juancho Torres/Anadolu Agency via Getty Images

    Thomaz Coelhoda CNN*

    O Serviço Geológico do Brasil (SGB) divulgou, nesta terça-feira (2), que as cheias nos rios Negro, Solimões e Amazonas deverão ser menos intensas em 2024, apresentando-se dentro dos parâmetros de normalidade.

    As análises fazem parte do 1º Alerta de Cheias do Amazonas deste ano, focando em oferecer suporte ao planejamento de ações preventivas nos municípios de Manaus, Manacapuru, Itacoatiara e Parintins, que juntos abrigam mais de 2,3 milhões de habitantes.

    Esse cenário é resultado da seca severa que afetou a região em 2023 e das chuvas abaixo da média, que têm dificultado a recuperação dos rios. “Esse último ano foi um ano de seca severa na Região da Amazônia, com grandes prejuízos para a navegação, o setor produtivo e também para a biota aquática”, ressaltou a diretora de Hidrologia e Gestão Territorial, Alice Castilho.

    Segundo Jussara Cury, pesquisadora de geociências do SGB, as cotas máximas dos rios em Manaus e Manacapuru devem se aproximas das médias históricas, enquanto em Itacoatiara e Parintins, os níveis projetados estão abaixo do esperado para a época, sem riscos de ultrapassar as cotas de inumação.

    A especialista enfatizou que, com base nos modelos de previsão, a cheia desde ano no Amazonas não será de grande magnitude.

    Esta previsão vem na sequência de um ano marcado por uma severa seca na região amazônica, que resultou em dificuldades significativas para a navegação, prejuízos ao setor produtivo e impactos negativos sobre a biota aquática, conforme destacado por Alice Castilho, diretora de Hidrologia e Gestão Territorial do SGB.

    O SGB também forneceu detalhes específicos sobre as expectativas de níveis de água para os municípios envolvidos. Em Manaus (AM), o Rio Negro deve alcançar 27,21m, ficando abaixo da cota de inundação, a probabilidade de superar a máxima, de 30,02m é de apenas 0,02%. GRÁFICO

    Já no município de Manacapuru, a previsão para o Rio Solimões é de que atinja 18,31m, com uma probabilidade de 58% de chegar à cota de inundação e apenas 6,5% de alcançar níveis de inundação severa.

    Previsão de cheia do Rio Amazonas em 2024 Indica normalidade, segundo Serviço Geológico do Brasil / Reprodução

    Já no município de Manacapuru, a previsão para o Rio Solimões é de que atinja 18,31m, com uma probabilidade de 58% de chegar à cota de inundação e apenas 6,5% de alcançar níveis de inundação severa.

    Nível abaixo da média do Rio Amazonas e fim do El Niño

    Em Itacoatiara (AM), a previsão é que o Rio Amazonas atinja 13,06m, com possibilidade de chegar à máxima de 13,57 m. A probabilidade de superar a cota de inundação (14 m) é de 29%. Já em Parintins, o Amazonas deve atingir 7,14 m, com possibilidade de chegar à máxima de 7,58 m.

    As previsões climatológicas, divulgadas pelo Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam), indicam que as chuvas na Região Amazônica podem retornar à normalidade com o fim do El Niño. “O El Niño está em declínio e cada vez mais fraco. A previsão para o próximo trimestre é de chuva dentro da normalidade em boa parte da Amazônia Legal”, afirmou o meteorologista Gustavo Ribeiro.