Reclamações de serviços online aumentam em 100% durante a pandemia, diz Procon

Órgão alerta para um golpe que vem ocorrendo em aplicativos de entrega como iFood e Rappi

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Se antes da pandemia as queixas mais comuns do Procon eram relacionadas a empresas de telefonia e bancos, agora o foco das reclamações está nos serviços via internet. Segundo o órgão, o total de queixas aumentou em 100% nos primeiros três meses do ano, em comparação com o mesmo período do ano anterior, passando de 17 mil reclamações para 35 mil. 

Mesmo que grande parte das reclamações sejam de companhias aéreas e empresas de turismo, o Procon alerta para um golpe que vem ocorrendo em aplicativos de entrega como iFood e Rappi.

Ele funciona da seguinte maneira: após o cliente fazer seu pedido, o entregador avisa de uma taxa extra, que deve ser paga no momento da entrega. Ao chegar no local, o motoboy entrega para o cliente uma maquina da cartão para cobrar a suposta taxa com o visor quebrado. Sem ver o valor cobrado, o cliente passa o cartão e chega a pagar de R$ 1.000 até R$ 7 mil para os golpistas. Segundo o Procon, há pelo menos 35 reclamações desta natureza.

O secretário de Defesa do Consumidor do estado de São Paulo, Fernando Capez, explica que irá cobrar explicações dos aplicativos. “O Procon irá exigir dos aplicativos a identificação de todos os membros da quadrilha, indenização integral das vítimas e a proibição de vendas offline pelos apps”.

Em resposta, o iFood disse que ainda não foi notificado judicialmente do ocorrido, mas que está a disposição das autoridades. A empresa explica que, uma vez selecionado o pagamento online, nenhuma taxa é cobrada presencialmente.

Já a Rappi lembra que não opera com máquinas de cartões de crédito e débito em entregas, e que sempre analisa os casos reportados.

Mais Recentes da CNN